Futebol/Copa do Brasil - ( )

Paranistas lamentam gols em casa que dificultaram a reação

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Derrota para o São Bernardo por 3 a 2, eliminação da Copa do Brasil e gritos de vergonha do torcedor nas arquibancadas do Ecoestádio Janguito Malucelli. A noite não foi nada agradável para os jogadores do Paraná Clube, que mais uma vez precisaram explicar um resultado negativo. O meia Rubinho, que marcou um gol e tentou ajudar a reverter o quadro, acredita que os gols tomados no primeiro tempo, em sequência, diminuíram as chances de reação.

“Tomamos dois gols muito rápido o que dificulta bastante”, lamentou o jogador, que entrou na segunda etapa, lembrando ainda que o regulamento da competição é cruel para quem é vazado tendo o mando de campo. “Na Copa do Brasil tomar gol em casa é complicado. Não conseguimos novamente fazer um bom jogo. É mata-mata e passa só um”, emendou.

Experiente, Lúcio Flávio lembrou que o time saiu na frente no placar, mas não soube sustentar e ainda foi atrapalhado pela expulsão de Gabriel Marques, logo depois do intervalo. “Tomamos o empate em uma bola parada e tomamos em seguida o segundo gol. Apesar da luta, no segundo tempo tivemos a expulsão, e com um a menos fica ainda mais dificil. Empatamos com o Rubinho, mas não conseguimos a virada”, analisou.

Retrato do desânimo dos atletas paranistas após o apito final, o goleiro Luis Carlos não encontrou muitas palavras, mas resumiu bem a situação, com o Tricolor perdendo a vaga em seus domínios. “Sei nem o que dizer o que faltou. Mas em casa não pode dar esse vacilo”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade