Futebol/Campeonato Paranaense - ( - Atualizado )

Perto de título do returno, Furacão vence Coritiba com facilidade

Curitiba (PR)

Depois de um início de temporada sob desconfiança, o time sub-23 do Atlético-PR conquistou uma importante vitória neste domingo. Embalado pela possibilidade de confirmar o título do segundo turno do Campeonato Paranaense, o Furacão venceu o rival Coritiba por 3 a 1, depois de dominar os 90 minutos de partida. Edigar Junio abriu o placar na etapa inicial, Zezinho ampliou no segundo tempo e Crislan liquidou o resultado depois de uma falha do zagueiro Escudero. Alex, de falta, descontou no último lance do clássico.

O jogo também ganhou destaque por ter sido o primeiro Atletiba disputado na Vila Olímpica do Boqueirão. O estádio da zona sul de Curitiba estava sendo usada apenas para treinamentos do Paraná, mas foi escolhido pelo Furacão. O gramado, no entanto, não agradou as equipes, o que pouco interessou a torcida rubro-negra, maioria entre os 5.635 pagantes.

Na rodada final, precisando de apenas uma vitória simples para garantir o título do segundo turno, o Atlético-PR visita o Operário, no Estádio Germano Kruger. O Coritiba, por sua vez, recebe o Londrina, no Couto Pereira, sendo que o adversário é o único que ainda ameaça o título do Furacão.

Caso o Atlético-PR confirme o título do segundo turno, o Furacão não vai decidir o Estadual em seus domínios. Na soma dos dois turnos, o Coritiba tem uma pontuação melhor do que o rival e assim ganhou o direito de fazer o segundo jogo de uma eventual final no Estádio Couto Pereira.

O jogo - O tradicional clássico paranaense ganhava um novo local: pela primeira vez na história, o confronto de quase 90 anos era disputado na Vila Olímpica do Boqueirão, estádio que pertencia ao Esporte Clube Pinheiros - antes da fusão com o Colorado Esporte Clube, que deu origem ao Paraná. Esquecido na zona sul de Curitiba, o local com capacidade para cerca de 15 mil pessoas estava sendo usado apenas para os treinamentos do Tricolor, mas, neste domingo, recebeu um Atletiba decisivo.

Apesar de o Atlético-PR ser o mandante do jogo, o Coritiba teve a primeira oportunidade de abrir o placar no Boqueirão. Patric avançou pela esquerda, cruzou rasteiro para a área, Robinho, quando recebeu a bola, já girou sobre a marcação e emendou para o gol. Santos se atrapalhou e deu rebote para dentro da área. O centroavante Deivid tentou completar para o gol, mas o goleiro se recuperou e barrou o jogador do Coxa.

O jogo passou a ficar bastante movimentado, animando o público que não parava de cantar nas arquibancadas. Empurrado por sua torcida, que era maioria no estádio, o Atlético-PR saiu na frente com Edigar Junio. Aos 24 minutos, Hernani deu um pelo passe para Héracles, que chegou à linha de fundo. O lateral mandou para a área, a bola passou pela zaga e sobrou para o centroavante. Com tranquilidade, Junio mandou para o fundo gol.

O Coritiba teve a chance de responder com o destaque da equipe. Aos 33 minutos da primeira etapa, o setor ofensivo do Coxa construiu uma boa jogada, que terminou em Deivid. O centroavante apenas desviou de cabeça para a área e o meia Alex, em boas condições de marcar, não conseguiu alcançar a bola para igualar o marcador. A desvantagem no placar, fez com que os visitantes buscassem mais o campo de ataque, mas o Furacão conseguiu chegar ao intervalo vencendo por 1 a 0.

Na saída para os vestiários, o meia Rafinha reclamou do gramado do Boqueirão, criticando a escolha do estádio para a disputa do clássico. O Atlético-PR, no entanto, pouco pareceu se importar com as condições de jogo e ampliou no início do segundo tempo. Aos 11 minutos de jogo, Hernani comandou o contra-ataque do Furacão, rolou para Edigar Junio, dentro da área, que acertou o travessão. No rebote, Zezinho emendou de cabeça e fez o segundo do time rubro-negro.

Apesar da desvantagem ainda maior, o Coritiba não se abalou com o segundo gol e chegou a balançar as redes minutos depois, mas o assistente indicou o impedimento. Aos 15 da etapa complementar, o meia Alex cruzou na área, Escudero subiu sem marcação, em posição irregular, e mandou de cabeça para o fundo do gol. Depois da oportunidade, o Coxa não conseguiu manter o mesmo ritmo e não mostrou organização em campo para descontar.

Para liquidar a partida, o Furacão ainda contou com um presente da zaga do Coritiba. O argentino Escudero se atrapalhou com a bola e entregou nos pés de Crislan. O atacante partiu em velocidade para o gol adversário, invadiu a área e bateu de bico, no canto esquerdo de Vanderlei, para fazer o terceiro do Furacão.

Já no fim do jogo, o Coritiba conseguiu descontar na bola parada. Em cobrança de falta bem perto da área, o meia Alex voltou a mostrar categoria e diminui para o Coxa, dando números finais à partida: 3 a 1.Festa da torcida rubro-negra, que chegou a criticar seu time sub-23 no início da temporada e viu a garotada vencer o rival de forma convincente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade