Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Prass admite: objetivo do Palmeiras é evitar brasileiros nas oitavas

William Correia São Paulo (SP)

Desde a vitória sobre o Libertad, que garantiu a classificação antecipada na Libertadores, Gilson Kleina adotou no Palmeiras a cobrança por triunfo diante do Sporting Cristal, nesta quinta-feira, no Peru, para garantir a liderança de sua chave. E Fernando Prass esconde o motivo: fugir dos brasileiros na próxima fase.

“Tirando um ou outro time de fora, os brasileiros são os mais fortes. E é demagogia de qualquer pessoa dizer que não quer pegar um time teoricamente mais fraco”, contou o goleiro, sincero em relação aos planos da equipe nas oitavas de final, mas sem deixar o discurso de que “o time pode jogar de igual para igual com qualquer adversário”.

“Em mata-mata, um time reconhecidamente melhor tecnicamente pode não passar. Por isso, não temos que escolher adversário e achar que preferimos A ou B. É fazer o melhor, vencer e tentar a melhor classificação possível”, simplificou o jogador mais experiente do elenco.

Mais do que escapar de compatriotas, o Verdão projeta vitória no Peru para poder definir como mandante sua situação nas oitavas de final e também nas fases seguintes, caso avance e tenha adversários com classificação pior na etapa de grupos da Libertadores.

“É importante ter a vantagem do segundo jogo em casa, porque você joga em casa sabendo o que tem que fazer em casa depois de jogar. É uma vantagem, e temos que buscar todas as vantagens. Em mata-mata de Libertadores, qualquer vantagem é considerável”, comentou o camisa 25.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Goleiro reforça cobrança por vitória no Peru para o time enfrentar nas oitavas de final um rival "teoricamente mais fraco"

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade