Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Prass vê time sem qualidade com bola e celebra "vontade do destino"

Callao (Peru)

Fernando Prass admitiu que o Palmeiras jogou mal no Peru, mas não por falta de vontade. Para o jogador mais experiente do elenco, a equipe precisava ter mais qualidade e com a bola no pé. O goleiro, contudo, pôde respirar aliviado com o gol do Libertad que garantiu a liderança do grupo ao Verdão como “quis o destino”.

“Às vezes, precisamos contar com a sorte também. Não fizemos a nossa parte, nem empatamos, mas quis o destino que passássemos em primeiro. Não podemos menosprezar isso. É agradecer e comemorar essa vantagem”, sorriu o goleiro, ciente de que foi beneficiado pelo resultado no Paraguai.

AFP
Mauricio Ramos e Marcelo Oliveira se atrapalham: faltou qualidade na opinião do jogador mais experiente
“Não tivemos a mesma condição com a bola no pé. Marcamos relativamente bem, mas criamos pouco para um time que precisava vencer”, discursou o camisa 25 depois da derrota por 1 a 0 para o Sporting Cristal, que já entrou em campo eliminado.

“Não digo que tínhamos a obrigação, mas tínhamos que ser superiores porque estávamos lutando pelo primeiro lugar. Mostramos depois do gol que poderíamos jogar com uma dinâmica maior, mesmo com dificuldade para ficar com a bola”, comentou o goleiro.

O experiente jogador cobrou até mais atenção do que raça em campo. “Não podemos analisar só pelo resultado e dizer que perdeu porque relaxamos. Não foi só na disposição, pecamos na dinâmica de jogo. Tanto que o gol saiu em uma bola que estava no nosso poder”, lembrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade