Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Presidente do Corinthians pede cautela com "Senhor Libertadores"

Marcos Guedes Buenos Aires (Argentina)

O Corinthians vai enfrentar o Boca Juniors, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, com um inédito favoritismo. Atual campeão sul-americano – conquista obtida justamente em cima dos argentinos –, o time alvinegro chega em novo patamar ao confronto, justamente em péssimo momento do rival, que não vence há dez jogos no Campeonato Argentino.

O presidente do Timão, porém, prefere não embarcar nesse clima de superioridade. Mário Gobbi lembrou que o Timão não havia triunfado na competição até o ano passado, enquanto a formação portenha coleciona seis troféus.

“Nós temos de fazer nosso trabalho com cuidado e com humildade. O Boca Juniors é o Senhor Libertadores, é preciso ter cautela para enfrentá-lo. É um clube muito grande, com um potencial enorme. Vai ser um duelo de titãs”, comentou o dirigente.

Gobbi disse ainda que “a história é maior do que uma final”. Pela primeira vez com a delegação em viagens na atual Libertadores, ele confia em Tite para evitar que o grupo não se deixe levar pelo clima de otimismo na disputa, que começa na quarta-feira, na Bombonera.

“Eu falo sempre com os nossos atletas, mas vou deixar a palavra para o Tite, que é um líder nato. Ele sabe o que fazer nesses momentos, é um cara extremamente competente para motivar o nosso elenco. Peço a Deus que o Corinthians consiga colocar para fora todo o seu potencial”, concluiu o presidente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade