Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Ronaldo foge de briga entre Pelé e Romário: “Deixa quebrarem o pau”

Helder Júnior São Paulo (SP)

Ronaldo pareceu surpreso ao se inteirar dos detalhes de mais uma briga pública entre dois ídolos do futebol brasileiro. “Como foi essa história do Pelé com o Romário?”, perguntou o ex-jogador do Corinthians, nesta sexta-feira, ao ser questionado sobre a polêmica criada no dia anterior. Como bom político que aprendeu a ser, principalmente após assumir cargo no Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, ele fugiu do assunto quando soube que o confronto envolveu insultos como “ignorante” e “boçal”.

“Eu vou entrar nessa história? Deixa quebrarem o pau lá”, comentou Ronaldo, sorrindo, no evento em que foi anunciado como novo contratado da Poker Stars, que organiza alguns dos principais campeonatos de pôquer do mundo. “Depois disso (a briga entre Pelé e Romário), acabou a entrevista. Vamos embora daqui. Rápido”, gargalhou o ex-jogador.

Diferentemente de Ronaldo, Pelé não se importa em se posicionar – muitas vezes de forma polêmica – sobre os mais variados assuntos. Sua mais recente sugestão para o técnico Luiz Felipe Scolari, a de convocar a equipe do Corinthians como base para a Seleção Brasileira, iniciou o novo entrevero com Romário.

Após ouvir novamente que era um poeta quando estava calado, frase que Romário tornou famosa quando ainda jogava futebol profissionalmente, Pelé disse perdoar os ignorantes por ser católico apostólico romano. A resposta do inimigo veio rápida, pelas redes sociais: “Acho que não é tão católico quanto afirma porque, se fosse, teria assumido a filha e ido ao enterro dela. Além de poeta, também é um boçal”.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Bem-humorado, Ronaldo controlou a língua para não se meter na polêmica briga entre Pelé e Romário
Ronaldo não chega ficar calado, mas também não faz poesia para alimentar polêmicas como a de Pelé e Romário. Sobre o time do Corinthians servir de base para a Seleção Brasileira, ele desconversou: “É preciso perguntar para o Felipão. Eu já parei de jogar. Ainda nem comecei a minha nova atividade, como comentarista. O Felipão deve chamar os melhores. Se o Corinthians foi campeão mundial e da Libertadores e merece ter atletas convocados, ele vai chamar. Mas esse é um problema do técnico. Não quebro mais a minha cabeça com isso”.

Atualmente, Ronaldo usa a sua cabeça e o seu prestígio na organização do Mundial de 2014. Um dos maiores críticos do COL é justamente o deputado federal Romário, que já chegou a se irritar com Pelé por se julgar censurado em sua postura crítica à realização da Copa no Brasil. “Não levo nenhum (dinheiro) da CBF. Talvez o Pelé leve algum”, contestou o parlamentar na época, além de ter mandado o seu desafeto calar a boca, em meio a muitos palavrões.

Depois de comemorar a queda de Ricardo Teixeira na presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o deputado federal Romário agora direciona os seus ataques ao sucessor José Maria Marin – que não conta com a proteção do mais famoso membro do COL.

“A relação do Marin com o governo é um problema exclusivo dos envolvidos. Não sou amigo dele, não tenho negócios com ele, e prefiro ficar na minha, fazendo o melhor para o Brasil. Da minha parte, a relação com o governo é muito boa. Com a Fifa, também. As pessoas estão satisfeitas com o meu trabalho. Tenho certeza de que faremos as melhores Copa das Confederações e Copa do Mundo de todos os tempos”, discursou o político Ronaldo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade