Futebol/Copa Libertadores - ( )

Tite e Corinthians voltam à Colômbia com trauma superado

Marcos Guedes São Paulo (SP)

A repetição da história já se tornou cansativa. Na maior parte dos relatos da sequência memorável do Corinthians entre 2011 e 2012 – com um título brasileiro, um sul-americano e um mundial –, recorda-se a eliminação diante do Tolima na fase prévia da Copa Libertadores de 2011, à qual Tite sobreviveu.

Pela primeira vez desde aquele 2 de fevereiro, o Timão está na Colômbia. Grato ao então Andrés Sanchez por não ter sido demitido após o fracasso retumbante em Ibagué, o treinador gaúcho agora chega ao confronto com o Millonarios, em Bogotá, em outro patamar na carreira.

Alguns jogadores, também. Ao menos aos olhos da Fiel, Danilo estava longe, no início de 2011, de ter o respeito conquistado hoje. Reserva na época, agora tem no currículo participações decisivas nas três grandes conquistas do Timão na era Tite.

Como o chefe, o meio-campista deixou no caminho o péssimo momento vivido há pouco mais de dois anos. “Não tem mais nada a ver, não, aquilo já ficou para trás. O grupo do Corinthians deu a volta por cima desde aquela derrota”, comentou o camisa 20.

Divulgação/Agência Corinthians
Campeão do mundo, Tite já consegue lembrar-se do Tolima com bom humor (foto: Daniel Augusto Jr.)
Cássio nem havia chegado ao Timão na época. Ele não estava no ônibus atacado por torcedores – que não perdoaram nem Ronaldo, decisivo na eliminação, nos protestos –, mas ouviu relatos dos companheiros e espera não viver nada parecido. “Aquilo passou. O Corinthians ganhou a Libertadores depois, é o campeão do mundo.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade