Futebol - ( - Atualizado )

Tite prevê futuro no Timão e diz que não é nem preciso falar "fico"

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Após dois dias de folga no Sul, Tite voltou a trabalhar no CT do Parque Ecológico do Tietê nesta quarta-feira. Ele conversou com diretores do Corinthians e negou qualquer oferta da Inter de Milão, motivo pelo qual não viu necessidade de atender ao apelo “Fica, Tite”, divulgado por Emerson.

“Não tenho que dizer ‘fico’ porque não teve nenhum contato. Sou um cara privilegiado, muito feliz de estar no Corinthians, um dos três maiores clubes do Brasil. Não fui procurado por nenhum dirigente da Inter e estou em um momento muito importante. Estamos a quatro jogos de poder ser campeões paulistas. Estamos a oito jogos de um possível título da Libertadores”, comentou.

Apesar de negar a proposta, o treinador disse ter ficado orgulhoso pelo reconhecimento. Especialmente por parte de jogadores, dirigentes e torcedores do Timão, que se manifestaram pedindo a permanência do comandante campeão mundial.

“Eu busco o respeito. O reconhecimento é motivo de orgulho, sim, sem falsa modéstia. E me remete a responsabilidade de seguir no mesmo padrão. Isso me deixa satisfeito, mais pilhado para botar combustível, mais energia no trabalho”, acrescentou.

Trabalho que pode ser mais longo. Tite está há dois anos e meio no Alvinegro, com contrato até dezembro. Ele chegou a dizer que o desgaste é muito grande após três anos, mas já vê com bons olhos a possibilidade de superar essa barreira e mudar a cultura da relação entre times e técnicos no Brasil.

Divulgação/Agência Corinthians
Tite não sabe de onde saiu a notícia do interesse da Inter. "De uma coisa eu tenho certaza: de mim não foi. Não sou de plantar informação, não gosto de enganar a mim mesmo, criar um mundo ilusório", afirmou (foto: Rodrigo Coca)
“Em regra, três anos é um tempo normal, acontece o desgaste. Mas isso não quer dizer que não possa ser diferente em casos especiais, em que haja concordância de todos, até para mudar essa questão por aqui”, afirmou o gaúcho, que prefere deixar a eventual renovação para depois.

“É importante a direção do clube chegar ao fim do ano e avaliar: ‘Olha, legal, dá para continuar’. Deixe chegar o fim do ano, mas a ideia é essa. Meu desejo é poder ajudar a mudar a mentalidade e ficar bastante tempo em um clube brasileiro, um clube do apelo, da exigência, da grandeza e da cobrança do Corinthians. Depois, com os objetivos sendo atingidos, as oportunidades acabam inevitavelmente aparecendo”, concluiu Tite.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade