Futebol/Campeonato Baiano - ( - Atualizado )

Torcedores rivais se unem na Fonte Nova antes do clássico inaugural

Helder Júnior* Salvador (BA)

A rivalidade ficou de lado horas antes de o jogo entre Bahia e Vitória começar. No primeiro clássico disputado na recém-construída Arena Fonte Nova, neste domingo, torcedores dos dois times se confraternizaram harmoniosamente na frente do estádio.

A maior parte do público se concentrou em uma pizzaria do Dique do Tororó, no acesso ao estádio destinado à torcida do Vitória. A localização era rubro-negra, mas ali também havia vários torcedores uniformizados com camisas do Bahia. Não existiu troca de provocações.

Ao invés de gritar ou cantar antes do clássico, as torcidas preferiram tirar diversas fotografias do novo estádio e consumir cerveja no entorno, uma vez que (ainda) é proibida a comercialização de bebidas alcoolicas dentro da arena.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Tricolores e rubro-negros se misturaram harmoniosamente na frente da Arena Fonte Nova
Quando enfim acessavam o estádio, que receberá apresentações de artistas como Ivete Sangalo e Cláudia Leitte antes do Ba-Vi, os torcedores externavam alegria e curiosidade. “Dá-lhe Vitória! Seremos felizes aqui dentro!”, berrou um senhor que se dizia o primeiro rubro-negro a pisar na Arena Fonte Nova.

Passos adiante, os torcedores começavam a se familiarizar com o novo estádio. Um tricolor achou “tudo muito parecido” com o antigo. A modernidade, no entanto, estava ao alcance dos olhos de qualquer um – apesar de algumas falhas de acabamento, como falta de pintura e limpeza em áreas comuns. “Dá para ver o campo bem de perto”, constatou um rapaz, impressionado com a ausência de alambrado.

Comércio
Vendedores ambulantes aproveitaram o movimento diante da Arena Fonte Nova para lucrar. Varais foram armados para comercializar uniformes e bandeiras de Bahia e Vitória. Por outro lado, quase não se viu venda de produtos alimentícios, como os tradicionais acarajés.

Os cambistas também agiram com discrição. Um dia antes do clássico inaugural, o próprio Frank Alcântara, presidente da Arena Fonte Nova, havia confessado que presenciara o comércio ilegal. “Você acredita que me ofereceram ingresso na rua? Fingi que compraria, só para saber quanto estavam pedindo”, contou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Já dentro do novo estádio, torcedor do Vitória fez campanha contra a violência no futebol
Dentro do estádio, as lanchonetes funcionam normalmente. Frank Alcântara havia garantido que problemas como aqueles presenciados no Mineirão (onde os estabelecimentos comerciais estavam fechados na inauguração do estádio) não se repetiriam na Fonte Nova.

“É tudo muito novo para nós, para a imprensa e para os torcedores. É claro que podem acontecer algumas falhas, mas queremos minimizá-las, sempre trabalhando na correção. Contamos com a cooperação de todos para identificar e resolver os problemas”, discursou o presidente da arena.

O repórter viajou a convite da organização.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade