Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Valdivia sente lesão de novo e está fora contra Santos e Tijuana

Luiz Ricardo Fini e William Correia São Paulo (SP)

A comissão técnica do Palmeiras tinha a esperança de voltar a contar com o meia Valdivia nos dois próximos jogos, decisivos para o time. No entanto, o chileno voltou a sentir dores na coxa direita, se disse inseguro aos médicos e está fora tanto contra o Santos, no sábado, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, quanto diante do Tijuana, na terça-feira, pelas oitavas de final da Libertadores.

“Intensificamos os treinamentos com ele na semana passada e ele voltou a sentir dores. O Valdivia pediu para continuar o tratamento porque se sente inseguro e por isso está fora dos dois próximos jogos”, informou o médico Otávio Vilhena, reiterando que o jogador sente a mesma lesão.

Sem atuar desde o dia 14 de março, quando esteve em campo contra o Paulista, o jogador já ficou ausente de 11 partidas do clube desde que sofreu a lesão. Valdivia chegou a treinar normalmente na terça-feira, mas não teve sequência nas atividades da semana.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Valdivia voltou a sentir dores na coxa direita e não participará dos dois jogos decisivos do Verdão
Depois de ter ficado fora do treino de adaptação ao campo sintético na quarta-feira, o Mago também não foi ao gramado da Academia de Futebol nesta quinta. Ainda não se pode precisar quando o camisa 10, enfim, ficará à disposição de Gilson Kleina.

Valdivia foi até convocado para defender a seleção chilena na quarta-feira, no amistoso contra o Brasil, em Belo Horizonte, mas a diretoria palmeirense vetou a liberação do jogador, já que não se tratava de uma data estipulada pela Fifa e também por conta da lesão.

Sem contar com seu principal meia de criação, o técnico Gilson Kleina vem alternando formações táticas e atletas improvisados no setor, como Wesley e Souza. Patrick Vieira, que poderia ser uma opção, está com lesão na coxa esquerda e fica entregue ao departamento médico pelo menos por mais três semanas. Tiago Real é de ofício do setor, mas não está entre as primeiras opções do treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade