Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Verdão exalta “atitude” para chegar às oitavas da Libertadores

São Paulo (SP)

Os pouco mais de 20 mil torcedores que compareceram ao Pacaembu nesta terça-feira não viram nem sombra do Palmeiras que sofreu um dos maiores vexames da história diante do Mirassol. Sem tirar o pé e demonstrando raça até os últimos segundos, o Verdão superou os desfalques para vencer o Tigre por 2 a 0 e recuperar parte da confiança da torcida.

O triunfo recolocou o Alviverde na briga por uma vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores da América, podendo até terminar o grupo 2 na primeira colocação. Na saída do gramado, os jogadores não esconderam o desgaste físico, mas preferiram comemorar a atuação convincente na base da vontade.

Autor do segundo gol palestrino sobre os argentinos, o volante Charles foi um dos mais saudados pela torcida. A experiência do meio campista contrastou com a velocidade dos garotos e ajudou o time treinado por Gilson Kleina a esquecer as ausências de Henrique, Valdivia e Leandro, e a saída precoce de Patrick Vieira.

“Essa vitória significa a união do grupo. Sabíamos das dificuldades que encontraríamos aqui dentro do Pacaembu, principalmente com os desfalques. Conseguimos sair com a vitória e todos os jogadores estão de parabéns”, destacou o ex-cruzeirense, que chegou à Academia de Futebol no início do ano.

Djalma Vassão/Gazeta Press
A atuação do volante Charles foi reconhecida pelos torcedores e coroada com belo gol de fora da área
De volta a meta depois de ver a boa atuação de Bruno contra o Linense, Fernando Prass também ajudou a orientar os jovens e fez excelente defesa na reta final da partida para acabar com qualquer pretensão argentina. O goleiro aprovou a dedicação dos companheiros e vê a atitude como essencial para ter a torcida sempre apoiando das arquibancadas.

“Ninguém joga mal porque quer. Tem dia que as coisas não dão certo. Temos que levar em consideração jogos como esse, como os clássicos em que fomos bem. A atitude tem que sempre prevalecer, pois se estivermos mal tecnicamente, a torcida vai reconhecer. O ideal é que fosse sempre assim, fazer de tudo pra torcida sair satisfeita”, analisou o arqueiro palmeirense.

O lateral esquerdo Juninho também comemorou o empenho do Verdão na Libertadores e quer usar a mesma estratégia para iniciar uma arrancada no Campeonato Paulista: “Era um jogo de vida ou morte e fizemos o que tinha que ser feito. Todos sabiam da importância deste jogo. É só levar isso para o Paulistão que as coisas vão melhorar.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade