Futebol/Copa Libertadores - ( )

Para não “morrer na praia”, Carleto joga favoritismo para o Atlético

Helder Júnior e Tossiro Neto São Paulo (SP)

O lateral esquerdo Thiago Carleto fez questão de se manter bastante respeitoso ao Atlético-MG mesmo após a vitória por 2 a 0 desta quarta-feira, no Morumbi. O jogador do São Paulo não quer dar armas ao time que reencontrará nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

“O favoritismo é todo do Atlético. Eles já mostraram um grande potencial com o que fizeram no ano passado, no Campeonato Mineiro e na primeira fase da Libertadores”, enalteceu Carleto. “Será um jogo muito complicado, até porque os dois times já se conhecem bem.”

Logo após os elogios, o lateral esquerdo do São Paulo explicou o motivo de tamanha cautela ao falar sobre o Atlético-MG. “A gente conquistou a classificação com uma vitória sobre eles, mas isso não adiantará nada se o time morrer na praia depois”, comentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Carleto previu mais dificuldades para o São Paulo no reencontro com o Atlético-MG de Jô nas oitavas
Mesmo preocupado com os novos confrontos com o Atlético-MG, Carleto também tinha tempo para comemorar. O jogador admitiu ter chorado ao término da partida que decretou a classificação do São Paulo para a próxima fase da Libertadores. O sentimento era de alívio após as duras cobranças da torcida.

“Fiquei muito arrepiado com o que vi no Morumbi. A torcida do São Paulo é diferenciada e soube apoiar o time do primeiro ao último minuto. Sabemos que não estava faltando raça. A bola não vinha entrando. Mas os torcedores tinham todo o direito de ir ao CT e protestar naquele momento ruim. Agora, tudo mudou”, sorriu Carleto, que só não mudou o seu respeito pelo Atlético-MG.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade