Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Alberto se sente inspiração para Neymar ‘estrear’ bicicleta na final

Bruno Grossi* e William Correia São Paulo (SP)

Aos 31 minutos do primeiro tempo, o meia Diego avançou pela esquerda e cruzou na área do Corinthians. O zagueiro Anderson afastou parcialmente e a bola sobrou para Alberto na marca do pênalti. Sem titubear, o centroavante virou uma linda bicicleta e, de perna esquerda, afundou Doni no gol para abrir o placar para o Santos no Pacaembu, no dia 3 de outubro de 2002, marcado pela estreia de Diego e Robinho como profissionais no estádio.

O jogo terminaria em 4 a 2 para o Peixe, com mais um de Alberto e dois de Elano, enquanto o zagueiro Alex, contra, e o atacante Leandro descontaram para o Timão no duelo da primeira fase do Campeonato Brasileiro. As duas equipes fariam as finais do torneio e novamente o time de Vila Belmiro levaria a melhor para conquistar seu sétimo título nacional.

O título foi o primeiro incontestável levantado pelos alvinegros praianos desde 1984, no Campeonato Paulista, quando derrotou o Corinthians na última partida do estadual por 1 a 0 graças a gol de Serginho Chulapa. Curiosamente, as duas equipes voltam a ficar frente a frente neste domingo, no Pacaembu, no primeiro jogo da final do Paulistão.

Protagonista da decisão em 2013, Neymar tinha apenas 11 anos, ainda não ganhava milhões, não era o craque santista e nem a esperança da Seleção Brasileira. O garoto se inspirava nos espetáculos proporcionados pelos Meninos da Vila treinados por Emerson Leão, mas segundo o próprio Alberto, ficou obcecado por marcar um gol de bicicleta, como o que abriu caminho para a goleada do Santos.

Divulgação/Santos FC
Alberto fez parte do elenco que faturou o Campeonato Brasileiro de 2002 e marcou época com os Meninos da Vila
Em visita à Academia de Futebol do Palmeiras, clube em que atuou em 2000, o centroavante visitou os amigos Henrique e Márcio Araújo, companheiros de Coritiba e Atlético-MG, respectivamente, e bateu papo descontraído com jornalistas. Na ‘resenha’, o ex-camisa 9 do Peixe brincou com a possibilidade de ser fonte de inspiração para Neymar, que já declarou publicamente o sonho em fazer um gol de bicicleta.

“Acho que é natural essa vontade dele. Imagina um garoto lá dentro do Santos ver Diego e Robinho dando show e de repente um cara faz um gol daquele em um clássico com o Corinthians. O engraçado é que em um ano ele deve ter feito mais gols do que eu em toda minha carreira”, afirmou Alberto, que também passou por Ituano, Internacional, Atlante, Necaxa (ambos do México), Paulista, Rio Branco, Náutico, Botafogo-SP, Dínamo de Moscou, Rostov (ambos da Rússia), Kofu-JAP, Grêmio-SP, Ceará, Comercial e Grêmio Catanduvense.

Aposentado desde 2010, Alberto está com 38 anos e administra duas franquias da escolinha oficial do Santos, a Meninos da Vila. Depois de ser campeão pelo Peixe e de aventura no futebol russo, o ex-jogador chegou ao Corinthians dois anos após ser algoz da equipe de Parque São Jorge.

Quando marcou de bicicleta sobre o Timão, Alberto já havia mostrado humildade: “Eu nem vi, me falaram ‘foi gol, foi gol’ e eu já saí comemorando. Humildemente, dos meus poucos gols na carreira, acho que foi o mais bonito”, falou o centroavante ainda em êxtase pela atuação de gala.

*especial para GE.net

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade