Futebol/Mercado - ( )

América-MG apresenta lateral-direito Leandro Silva como novo reforço

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

Depois de ser eliminado na primeira fase do Mineiro, a diretoria do América-MG trabalha para reforçar o elenco para a sequência da Copa do Brasil e também para a Série B do Campeonato Brasileiro. O clube iniciou uma nova etapa de contratações apresentando o lateral-direito Leandro Silva, que chega por empréstimo do Ituano até o fim da temporada, mas diz espera permanecer por muito mais tempo no Coelho.

O atleta chega ao América-MG comemorando os 101 anos do clube. “É um prazer jogar no América-MG, e estou muito feliz por isso. Chegar no dia dos 101 anos do clube é uma grande honra”, disse o jogador, que fez questão de destacar a sua satisfação em vestir a camisa alviverde.

“A minha contratação é reflexo do bom Campeonato Paulista que eu fiz, em uma competição bastante visada. A minha expectativa é de fazer um bom campeonato pelo América-MG. Espero dar alegrias à torcida e ajudar a levar o time para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro. A minha característica de jogo é de marcação e ser ofensivo também. Sei tanto atacar como também sei defender. Vou procurar utilizar as minhas características para ajudar o América-MG”, declarou.

Leandro Silva revela que buscou referências com o armador Luciano, que passou pelo América-MG antes de aceitar a proposta do Coelho. “Desde o momento em que tive o contato com o Alexandre Faria, para poder defender um time como o América-MG, fiquei bastante alegre. Vou dar o meu máximo para honrar essa camisa. Eu quero conquistar alguma coisa aqui, nem que seja a Copa do Brasil, mas o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro é a meta. Eu joguei com o Luciano, que jogou aqui no América-MG. Ele sempre me falou bem da equipe”, comentou.

Como vinha atuando pelo Campeonato Paulista, o jogador afirmou que está fisicamente bem e que quando o técnico Paulo Comelli solicitar terá condições de fazer sua estreia. “Estou apenas há uma semana parado. Treinei bem, não senti nada. Lógico, o cansaço vem mais rápido nos treinos, mas isso é diferente no jogo. Fica a critério do professor, se ele quiser que eu jogue. Estou ciente da necessidade do clube na posição. Eu estou bem e se for critério do professor que eu entre eu campo, vou dar o meu máximo para ajudar a equipe”, afirmou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade