Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Betim toma virada do Crac e agora precisa vencer jogo de volta

Do correspondente Wanderson Lima Catalão (GO)

Betim e Crac começaram nesta quarta-feira, um confronto para decidir vaga na próxima fase da Copa do Brasil. O time mineiro iniciou a partida abrindo o placar no estádio Gernevindo Fonseca, em Catalão, mas não resistiu à pressão goiana e acabou tomando a virada, 3 a 2, em favor do Leão do Sul.

Marion abriu o placar para o Betim, mas William Amendoim, Jonathan e Pantico decretaram a virada em favor do Crac. O zagueiro Azevedo ainda marcou o segundo tento do Betim. O jogo de volta entre mineiros e goianos está marcado para o dia 8 de maio, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O Betim precisa de vitória simples para avançar na Copa do Brasil.

O jogo - Atuando em casa, o Crac iniciou a partida pressionando o Betim e criando as principais chances de marcar. Com dificuldades na saída de bola, o time mineiro priorizou a marcação, na tentativa de encaixar um contra-ataque, ou aproveitar um erro do Leão do Sul.

A estratégia do Betim surtiu efeito aos 12, quando William Amendoim vacilou no meio-campo e permitiu que Joelson fizesse grande jogada individual dando assistência para Marion, que fuzilou o goleiro Alek, abrindo o placar no estádio Gernevindo Fonseca. O empate do Crac não demorou, e aos 19, William Amendoim se redimiu do erro no gol do Betim e mandou a canhota, sem chances para o arqueiro da equipe mineira.

Após o empate da equipe goiana, a partida passou a apresentar um cenário de lentidão, com o Crac tentando trocar passes, mas esbarrando na forte marcação do Tigre. A história só começou a mudar aos 37, quando o armador Jonathan arriscou arremate de fora da área, no meio do gol, o goleiro do Betim aceitou e a torcida do Leão do Sul explodiu em emoção nas arquibancadas.

Em desvantagem no marcador, o Betim voltou mais agressivo para a etapa complementar, criando as principais chances ofensivas, mas pecando na hora de concluir as jogadas. Preocupado com o ímpeto do Tigre, o técnico Hemerson Maria procurou orientar seus comandados na tentativa de sair do campo de defesa.

A bronca do treinador surtiu efeito aos 17, quando Jonathan foi derrubado dentro da área, conquistando um pênalti para o time azul em branco. Pantico fez a cobrança com violência, o goleiro Bruno acertou o canto, mas não conseguiu impedir o dilatamento do placar no Gernevindo Fonseca.

O Tigre não se intimidou com o gol sofrido e seguiu atuando no campo de ataque, aos 23, o zagueiro Azevedo escorou cruzamento de cabeça, diminuindo o prejuízo do Betim. Os visitantes ainda tentaram o empate, mas tiveram que se contentar com o revés, que obriga os mineiros a vencerem o jogo de volta na próxima semana.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade