Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol - ( )

Corinthians controla assédio a atletas ao fim de novo ciclo

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Mário Gobbi costuma colocar o fim da participação do Corinthians na Copa Libertadores como o término de um ciclo do grupo. Por isso, encerrado mais um desses períodos, será muito difícil o que foi obtido em outros momentos -- a permanência de Paulinho --, mas o volante não é o único assediado.

Controlar a situação será o trabalho da diretoria durante a pausa no calendário para a disputa da Copa das Confederações. Segurar Edenílson e Romarinho é possível, mas o adeus de Paulinho, já bem documentado, ficou claro no abraço apertado dado pelo técnico Tite no atleta após a conquista do Campeonato Paulista.

“Não quero responder”, disse o treinador, questionado sobre o que foi conversado. A mensagem foi no tom “missão cumprida”. “Faltava isso para mim. É difícil explicar. Faltava esse título para mim, para minha carreira, para esse grupo. Conseguimos”, afirmou o atleta.

Tite gostaria de continuar contando com ele, e Mário Gobbi prometeu lutar contra nova investida da Inter de Milão e do interesse do Shakhtar Donetsk. O que o presidente assegurou, no entanto, foi manter os últimos atletas a despertar a atenção do futebol da Europa.

“Com o Edenílson e o Romarinho é assim: é mais fácil um besouro fumar maconha no meu olho do que eles saírem”, sorriu o dirigente, em uma analogia que, acredite, não é inédita. “Eles chegaram faz pouco tempo e ainda vão jogar na Seleção Brasileira, podem escrever. Não assino a transferência nem morto.”

Djalma Vassão/Gazeta Press
Segundo Mário Gobbi, a chance de Romarinho sair é menor do que a de um besouro fumar maconha em seu olho
Com Julio Cesar, é diferente. O goleiro formado no Corinthians está disposto a sair e será encaminhado a outro clube. Duas negociações, com Criciúma e Vasco, já estiveram perto da conclusão. “Ele não chegou ontem aqui, somos gratos por tudo o que fez. Tem dez anos de clube e quer sair”, explicou Gobbi.

Seu lugar será ocupado por Walter, que se destacou no Paulista pelo União Barbarense e já treina no CT do Parque Ecológico. Também já trabalha com seus novos companheiros o experiente cabeça de área Maldonado, outro reforço do Timão para a sequência da temporada.

Não há uma busca urgente por mais jogadores, mas Tite conversa constantemente com a direção sobre a necessidade de não se acomodar. “É preciso que haja qualificação sempre. No dia em que a gente achar que está tudo bem, que não é preciso melhorar, será melhor ir embora”, disse o treinador.

Fica aí uma última questão. O gaúcho sentiu que Jorge Henrique não queria mais melhorar e afastou o atacante por indisciplina até o término do Campeonato Paulista. Está encerrada a competição estadual, e se faz necessário decidir o futuro do histórico jogador alvinegro.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade