Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Eliminação na Libertadores instaura clima de crise no Fluminense

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

A eliminação na Copa Libertadores instaurou um clima de crise no Fluminense. Menos de 24 horas depois da derrota por 2 a 1 para o Olimpia, o Tricolor teve que conviver com pichações, pancadaria e com o destempero do técnico Abel Braga, que se tornou um dos principais alvos dos torcedores.

Logo após o apito final do árbitro, a sede das Laranjeiras viu uma pancadaria entre torcedores que acompanhavam o jogo no telão. Opiniões contrárias a respeito do futuro do time deram início ao tumulto, que foi rapidamente contido pela segurança.

Na manhã desta quinta-feira os torcedores voltaram a demonstrar irritação com o desempenho na temporada e os muros das Laranjeiras amanheceram pichados com frases como "fora Abel" e "time sem vergonha".

Outro momento de tensão aconteceu no desembarque da delegação no Rio de Janeiro, no início da manhã desta quinta-feira. Um grupo de torcedores rivais, na maioria flamenguistas, começou a ironizar os atletas à medida que eles iam aparecendo no saguão do aeroporto.

Fred foi o primeiro a ser hostilizado, mas reagiu com um sorriso demonstrando espírito esportivo. Sem sorriso, mas também sem reação, o goleiro Diego Cavalieri foi até o carro sob os gritos de "Ao, ao ao, tem frangueiro na Seleção". Já Thiago Neves teve que ouvir gritos de "traidor".

“Futebol tem dessas coisas e agora precisamos reagir e pensar nas competições que temos que enfrentar. Tem o Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil e a chance de voltarmos para a Copa Libertadores”, declarou Thiago Neves, evitando criticar os torcedores rivais.

O equilíbrio exibido pelos jogadores deveria ter servido de exemplo para Abel Braga, que mostrou descontrole ao ser ironizado. Primeiro um sorriso irônico, depois, ao se aproximar de um táxi, rebateu os xingamentos chamando os torcedores de "babacas".

Por fim, ao ser chamado de "flamenguista", o comandante fez gestos obscenos em direção aos torcedores, entrando em seguida no táxi. A atitude inflamou a torcida e os seguranças do aeroporto se aproximaram para evitar problemas.

Antes dessa cena, logo após o jogo, Abel Braga, mais tranquilo, falou sobre o futuro e se mostrou confiante de que o Fluminense ainda vai ter motivos para comemorar em 2013. Esse ano, além da Libertadores, o time perdeu o Campeonato Carioca, conquistado com relativa facilidade pelo Botafogo. Resta agora a sequência do Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil.

“Esse grupo já mostrou comprometimento em vários momentos e agora não foi diferente. Pressionamos o jogo todo no Brasil e estivemos perto do segundo gol no Paraguai. Mas infelizmente não conseguimos a classificação. Agora é focar no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. Tenho certeza de que esse grupo ainda pode conquistar muitas coisas”, afirmou o comandante tricolor.

Em relação ao futuro, a diretoria, por enquanto, não cogita troca na comissão técnica, mas a pressão da torcida sobre Abel Braga pode crescer. Nesta sexta-feira o diretor executivo do departamento de futebol, Rodrigo Caetano, vai dar uma entrevista coletiva e pode anunciar mudanças na diretoria. Fala-se na saída do vice-presidente de futebol Sandro Lima.

O elenco volta a treinar nesta sexta-feira pela manhã, nas Laranjeiras. O Tricolor volta a jogar no próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), quando vai duelar com o Criciúma no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ), pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

Para este compromisso Abel Braga não poderá contar com o goleiro Diego Cavalieri, com o volante Jean e nem com o atacante Fred, que se apresentaram à Seleção Brasileira para a disputa de amistosos internacionais e da Copa das Confederações. O trio só voltará a defender a camisa do Tricolor em julho.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade