Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Libertadores - ( - Atualizado )

Fiel deixa garrafadas para trás e mostra carinho arrepiante ao time

Marcos Guedes e Helder Júnior São Paulo (SP)

Houve uma partida do Corinthians na Copa Libertadores que ficou conhecida como “noite das garrafadas”, nome que resume a atitude tomada na derrota para o Flamengo em 1991. Em 2006, o jogo da eliminação contra o River Plate nem acabou pela revolta dos torcedores. Nesta quarta-feira, após o empate com o Boca Juniors, a Fiel mostrou o seu amor.

O hino do clube foi cantado em um tom que não foi alcançado nem durante os 90 minutos. Entre as várias canções que se seguiram, com o público recusando-se a deixar o Pacaembu, destacaram-se o tradicional “ô, ô, ô, ô, corintiano, maloqueiro e sofredor, graças a Deus!” e o “eu nunca vou te abandonar porque eu te amo”.

“A gente fica triste por essa torcida maravilhosa. O que eles estão fazendo mesmo com uma desclassificação é incrível”, afirmou Fábio Santos. “A torcida do Corinthians deu um show à parte, mostrando que vem ao estádio para torcer. É uma linda festa”, concordou Emerson.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Torcedores do Corinthians deixaram arrepiados os jogadores com sua demonstração de carinho
Os cantos de apoio só tiveram uma pausa quando o juiz Carlos Amarilla, que teve uma atuação ridícula, começou a caminhar rumo ao seu vestiário. Tite já o havia cumprimentado efusivamente, certamente tentando mostrar em tom irônico que o papel de colocar o Boca nas quartas de final estava cumprido.

Já com o estádio mais vazio, a torcida recordou a final do Campeonato Paulista contra o Santos, marcada para domingo, na Vila Belmiro. Com a música impublicável, fechou-se uma noite que foi triste para a Fiel, mas marcou por mais uma prova de amor ao time do povo.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade