Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Libertadores - ( - Atualizado )

Fluminense batalha, mas perde para o Olímpia e cai na Libertadores

Assunção (Paraguai)

O sonho do Fluminense de conquistar a sua primeira Taça Libertadores acabou na noite desta quarta-feira. Em partida disputada no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção, o Tricolor das Laranjeiras foi derrotado pelo Olímpia, de virada, por 2 a 1, resultado que causou a eliminação da equipe brasileira da competição sul-americana.

O Fluminense saiu na frente com gol de Rhayner, mas falhas de Diego Cavalieri e Digão provocaram a virada do Olímpia que marcou duas vezes, com Salgueiro, em lances de bola parada. O Tricolor das Laranjeiras começou bem, mas permitiu a reação da equipe paraguaia. No segundo tempo, o Fluminense pressionou de forma desorganizada e não conseguiu o gol de empate que lhe garantiria a vaga para a próxima fase do torneio.

O jogo - A partida começou muito movimentada e com o Fluminense mostrando disposição ofensiva. E logo aos três minutos. Wagner sofreu falta na entrada da área. Fred cobrou, mas a bola subiu demais e não levou perigo. O Olímpia tentou dar a resposta com uma boa jogada de Alejandro Silva que ganhou de Leandro Euzébio e chutou para fácil defesa de Diego Cavalieri. O Tricolor das Laranjeiras seguiu atacando e, aos sete minutos, o goleiro Martin Silva teve que deixar o gol, para socar uma bola que se encaminhava para a cabeça de Fred.

Aos nove minutos, o Fluminense marcou o primeiro gol. O veterano zagueiro Mansur tentou atrasar, de cabeça, para o goleiro Martin Silva, mas acabou dando um presente para Rhayner que chegou primeiro do que Martin Silva, encobriu o goleiro do Olímpia, e tocou para as redes paraguaias.

Atordoado com a desvantagem, o time paraguaio tentou adiantar suas linhas, mas acabou abrindo espaços para a equipe brasileira. Aos 18 minutos, Rhayner fez outra grande jogada, driblando vários marcadores e cruzando para Fred, mas a defesa paraguaia aliviou o perigo.

Aos 20 minutos, o técnico Ever Almeida trocou o volante Caballero pelo atacante Ferreyra, numa tentativa de aumentar o poder ofensivo da sua equipe.

Aos 23, Leandro Euzébio fez falta na entrada da área. E enquanto os jogadores paraguaios reclamavam da organização da barreira, Bareiro bateu a falta, tentando surpreender Cavalieri, mas a bola explodiu na barreira.

O Olímpia seguiu pressionando e aos 29 minutos, depois de forte pressão, Salgueiro mandou a bomba e Bruno meteu a cabeça para desviar a bola e evitar o gol de empate. O Fluminense começou a encontrar dificuldades para armar jogadas e até o atacante Fred recuou para ajudar na marcação.

A pressão da equipe paraguaia acabou dando resultado, aos 35 minutos. Rhayner derrubou Salgueiro no lado esquerdo da área. E, na cobrança, Salgueiro, mesmo sem ângulo, bateu direto para o gol, e surpreendeu Diego Cavalieri que esperava o cruzamento e não conseguiu impedir que a bola entrasse.

A igualdade incendiou a equipe do Olímpia e o time da casa acabou passando à frente do marcador, aos 40 minutos. O zagueiro Digão atropelou Bareiro na área e o árbitro marcou o pênalti que foi convertido por Salgueiro, batendo no canto direito de Diego Cavalieri que pulou no canto certo, mas não conseguiu impedir que a bola entrasse.

Aos 43 minutos, Salgueiro ainda cobrou outra falta, da intermediária, que o goleiro tricolor defendeu com segurança. E no último lance importante do primeiro tempo, Ferreyra,da entrada da área, se livrou da marcação e chutou rasteiro, mas a bola bateu na trave direita de Diego Cavalieri e saiu.

O Fluminense voltou para o segundo tempo, tentando imprimir um ritmo mais forte ao jogo, mas logo aos três minutos, um erro de Jean proporcionou um ataque muito perigoso do Olímpia. Três jogadores avançaram em direção ao gol de Diego Cavalieri, mas Edinho conseguiu atrapalhar o passe e a conclusão de Bareiro acabou saindo, sem perigo.

Logo depois foi a vez de Digão falhar na saída de bola, mas o ataque paraguaio não conseguiu aproveitar o erro do zagueiro tricolor. Aos 12 minutos, o Fluminense teve uma falta na entrada da área, mas a cobrança efetuada por Jean acabou explodindo na barreira.

A partida ficou muito truncada, com excesso de faltas e desentendimentos entre os jogadores das duas equipes. O técnico Abel colocou o meia Thiago Neves em campo, no lugar do lateral-direito Bruno, numa tentativa de aumentar a força ofensiva da equipe. O volante Jean foi deslocado para a lateral. Aos 19 minutos, o lateral-esquerdo Carlinhos partiu do meio-campo, se livrou de três marcadores e bateu forte, mas a bola encobriu o travessão.

Abel decidiu mandar sua equipe mais para a frente e trocou Jean pelo atacante Samuel. Aos 25 minutos, o time brasileiro teve a chance de empatar. Thiago Neves cobrou falta e Fred, livre, errou a cabeçada. A resposta do Olímpia veio no minuto seguinte, quando Bareiro colocou Ortiz em condições de marcar, mas o goleiro Diego Cavalieri fez grande defesa, evitando o terceiro gol.

Aos 29 minutos, em nova falta na intermediária, Thiago Neves bateu colocado, mas a bola saiu. O Fluminense partiu de forma desesperada para buscar o gol de empate que lhe daria a classificação, enquanto o Olímpia apenas se defendia, mantendo quase todos os seus jogadores no campo defensivo. Os jogadores da equipe paraguaia simulavam contusões para tentar parar o jogo e os gandulas retardavam a devolução das bolas.

Nervosos, os jogadores do Fluminense não conseguiam precisão nos passes e nos chutes. Aos 42 minutos, após sucessão de jogadas erradas, a bola sobrou para Carlinhos que emendou, de primeira, e mandou para fora. O time carioca seguiu pressionando e o goleiro Diego Cavalieri acabou indo para a área, numa tentativa desesperada de marcar, mas o Olímpia conseguiu se defender e garantiu a vitória e a classificação para a próxima fase da Libertadores.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade