Futebol/Libertadores - ( - Atualizado )

Irritados com arbitragem, jogadores reclamam de pênalti marcado

Guaiaquil (Equador)

Na saída de campo, após a derrota por 2 a 1 para o Emelec, em Guaiaquil, os jogadores do Fluminense não deixaram de reclamar do colombiano Wilmar Roldán. Aos 42 minutos do segundo tempo, o árbitro marcou um pênalti a favor do time da casa, o que garantiu a vitória dos equatorianos. A marcação, no entanto, irritou os brasileiros.

Após a cobrança de falta, Carlinhos fazia a marcação do jogador equatoriano, quando o árbitro entendeu que o lateral empurrou o adversário. O jogador não concordou com a marcação e mal soube dizer o que aconteceu. “Não tem o que explicar. O ‘cara’ se jogou e o juiz marcou o pênalti. Só ele viu. Lance normal de jogo”.

Rafael Sóbis, que iniciou a partida como titular, também reclamou da arbitragem. Para o jogador, faltou critério nas marcações de Wilmar Roldán, o que prejudicou o Fluminense na partida. “Não sei se foi pênalti, porque teve tanta falta igual que ele não, mas vamos lá. Precisamos de 1 a 0 e a vida segue”, lamentou o atacante tricolor.

Depois de iniciar a partida no banco de reservas, Felipe entrou no decorrer da partida, buscando acalmar seus companheiros dentro de campo. O meia endossou o discurso dos outros jogadores e também não concordou com o pênalti, mas não deixou de lembrar que o Fluminense precisa de uma vitória simples para garantir a classificação.

“O juiz acabou complicando o jogo, não foi pênalti, eu estava próximo do lance. Mas, o importante é ter feito um gol fora de casa, precisamos de uma vitória simples, com o apoio da torcida, para conseguir esta classificação”, concluiu Felipe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade