Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Mercado - ( )

Kleina tenta ajudar Kleber, mas busca novo centroavante no mercado

São Paulo (SP)

Nesta terça-feira, diante do ASA, Kleber deve ter mais uma chance como titular, e em um 4-3-3 que, teoricamente, favorece jogadores de sua posição. É mais uma tentativa de Gilson Kleina em ajudar o seu camisa 9. Mas a volta do atacante ao Porto em um mês é dada como certa, tanto que a busca por um novo centroavante é prioridade.

O próprio treinador auxiliar os dirigentes. “É um trabalho integrado, e a diretoria está atenta a essa situação. Eles querem fortalecer esse grupo, podem ter certeza”, avisou o técnico, que teve no sábado, na vitória por 1 a 0 tomando sufoco no fim do Atlético-GO, mais uma prova da necessidade de uma nova referência na frente – existem rumores sobre Velázquez, do Libertad, do Paraguai.

Kleber demonstrou as já frequentes dificuldades em dominar bolas, acertar passes ou mesmo de escolher a ação mais correta. Kleina saiu de Itu prometendo reforçar seus pedidos de reforços na função aos dirigentes. “Vamos conversar. Nas inúmeras chances que temos, precisamos de tranqüilidade e capricho, não precisamos terminar o jogo dessa forma.”

O último jogo do atual camisa 9 do Verdão parece já ter data marcada: dia 11, contra o América-RN, em Natal. Até lá, serão cinco partidas na qual o centroavante deve ser usado porque Caio ainda não é visto como solução e faltam outras opções no elenco. Em 30 de junho, acaba o empréstimo do Porto e dificilmente a diretoria fará valer o acordo verbal que estabeleceu com o clube português para tê-lo até dezembro.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Na estreia do time na Série B, centroavante voltou a mostrar dificuldade em lidar com a bola e fazer gols
As oportunidades de Kleber provar que merece continuar estão acabando, como aponta o próprio Kleina, apostando no 4-3-3 como chance de o centroavante, enfim, agradar. “Essa mudança de postura tática pode favorecer o Kleber. Agora, as coisas têm de começar a desenvolver. Não sei se acredito muito em fase...”, falou o treinador.

Enquanto ainda conta com Kleber, o técnico tenta motivá-lo. Contra o Atlético-GO, por exemplo, precisou animá-lo desde um toque errado na bola logo aos cinco minutos de jogo. “Vi que ele se abateu e falei para levantar a cabeça, buscar oportunidade. Conversamos sempre, passamos confiança. Sabemos que o torcedor é exigente, mas ele precisa continuar trabalhando dessa forma.”

Por enquanto, Kleber segue marcado pela assumida displicência ao abusar de dribles, perder chance clara e ver o Tigre derrotar o Verdão segundos depois, em março, na Argentina. Só fez um gol, contra o Santos, nas quartas de final do Paulista, mas perdeu pênalti na eliminação do time.

“Ele batalha, mas atacante precisa de gols para ter tranquilidade. Espero que possa ser feliz no próximo jogo e desfrutar de um ambiente bom no Palmeiras”, disse Kleina, mais uma vez sincero.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade