Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Leandro prioriza Série B em mês sem jogos: "Férias não, né, mano?"

William Correia São Paulo (SP)

No sábado, Leandro perdeu pênalti na decisão que eliminou o Palmeiras nas quartas de final do Campeonato Paulista, para o Santos. E acabou contribuindo para um longo período sem jogos. Como não pode ser inscrito na Libertadores, o atacante ficará 28 dias sem participar de uma partida. Mas discorda de quem o vê ‘de férias’.

“Férias não, né, mano? Estou treinando todos os dias. Estou me preparando para a Série B”, disse o jogador, com discurso afinado com a diretoria, que definiu a volta à elite do futebol brasileiro como grande meta da temporada. “Preciso treinar. Não tem só Libertadores. A Série B é o principal objetivo do Palmeiras no ano e treino para ajudar o Palmeiras a subir para a Série A.”

O atacante, emprestado pelo Grêmio e inscrito pelo clube gaúcho na Libertadores antes de chegar ao Verdão, até sabe quando enfrentará o Atlético-GO, na estreia do time na segunda divisão do Brasileiro. “Se não me engano é dia 25. Está longe. Muito tempo para treinar ainda”, comentou.

Leandro tem trabalhado ao lado do volante Léo Gago, que se machucou seriamente nesta semana, do lateral esquerdo Fernandinho e do meia Rondinelly, que não foram inscritos na Libertadores, além de juniores. Os treinamentos são comandados pelo auxiliar Juninho e pelo preparador físico Marco Aurélio Schiavo na Academia de Futebol.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O atacante não pode atuar pelo Palmeiras na Libertadores e só vai treinar até a estreia na Série B, no dia 25
“Eles priorizam tanto a parte física quanto técnica para mantermos ritmo de jogo. Fazemos bastante trabalho em campo reduzido para adquirirmos condicionamento físico e não perdermos o ritmo. É um trabalho que nos ajuda bastante”, ressaltou Leandro.

Situações de jogo são trabalhadas apenas quando os times das categorias de base aparecem no centro de treinamento. “Geralmente, fazem um coletivo contra os juniores para quem não jogou manter o ritmo. Quando a semana é curta, com jogo no meio, a única opção é o trabalho em campo reduzido”, falou o atacante.

É a rotina de um jovem jogador que não esconde: gostaria de ter condições de atuar na Libertadores. “Ultimamente, tenho que assistir aos jogos em casa. Eu queria estar no México, principalmente jogando contra o Tijuana. É uma pena”, lamentou Leandro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade