Comercial Expediente Contato
Acompanhe o GE.net
Futebol - ( - Atualizado )

Marin diz que é democrático e volta a garantir Felipão na Copa

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O presidente da CBF, José Maria Marin, participou da reunião realizada na Federação Paulista, nesta segunda-feira, que definiu datas e locais da decisão do Estadual. Na sequência, o aniversariante do dia se posicionou para entrevista ao lado dos presidentes de Santos, Corinthians e FPF.

A primeira pergunta foi direcionada a ele. Depois de receber felicitações pelos 81 anos, o dirigente ouviu questão sobre a pressão que tem recebido para deixar o cargo e as eleições para sua sucessão, marcadas para o próximo ano. Preferiu falar sobre o técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari.

“Minha principal competição agora é com a Copa das Confederações e com a Copa do Mundo. É claro que queremos ganhar essa Copa das Confederações, até porque não estamos participando das eliminatórias. Mas, se não conseguirmos, nada vai alterar o trabalho do Felipe Scolari e de toda a comissão técnica. O trabalho continua, estamos em um bom caminho”, afirmou.

Diante da insistência em temas políticos, Marin falou brevemente sobre as eleições na CBF, que acontecerão em abril de 2014, com posse do novo mandatário em 2015. Mas, sem o menor apreço por ele – cuja ligação com a ditadura militar tem sido frequentemente exposta –, a presidente Dilma Rousseff não gostaria de esperar tanto.

Djalma Vassão/Gazeta Press
José Maria Marin teve a proteção de Marco Polo Del Nero para evitar novas perguntas espinhosas
“Discutirei eleições no tempo oportuno, tudo tem seu tempo. Estou à disposição para falarmos sobre as prioridades do momento: Copa das Confederações e, depois, Copa do Mundo. Sobre eleição, não quero tecer comentário”, repetiu, antes de encerrar o assunto com uma autodefinição interessante.

“Sou um democrata. A disputa é democrática, e todo cidadão que tiver sua justa pretensão de se candidatar pode fazer isso. É legítimo, considero perfeitamente normal, sou um democrata. Mas minha preocupação agora é ver o que ocorre com a Seleção, o belo trabalho do técnico Gallo na base. Sobre isso, estou à disposição. Não tenho tempo para intrigas”, concluiu.

Antes que fosse feita a próxima pergunta, Marco Polo Del Nero – provável candidato da situação a suceder Marin –, pediu que só se falasse sobre Campeonato Paulista. Até houve uma nova tentativa de questionamento ao presidente da CBF, vetada pelo presidente da FPF. Ao fim do evento, Marin saiu apressadamente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade