Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futbeol/Bastidores - ( - Atualizado )

Odebrecht e Eike Batista vencem licitação do Estádio do Maracanã

Rio de Janeiro (RJ)

Nos próximos 35 anos, o consórcio formado por Odebrecht, AEG e IMX, empresa de Eike Batista, será responsável por administrar o Estádio do Maracanã. A comissão especial de licitação do estádio aprovou o consórcio chamado de Maracanã S.A.

O outro consórcio que concorria, Complexo Esportivo e Cultural do Rio, formado pelas empresas OAS, Stadium Amsterdam e Lagardère Unlimited) somou 94,4624 pontos em análise das propostas feita pela comissão, contra 98,26 pontos do Maracanã S.A.

O Maracanã S.A ofereceu ao governo do estado R$ 5,5 milhões, em um total de R$ 181 milhões pela licitação do estádio, que a partir de agora será mantido e administrado pelas três empresas.

Uma polêmica em torno da legitimidade da licitação foi criada por conta do envolvimento do consórcio vencedor com a obra. A Odebrecht é uma das construtoras que participou da reforma do Maracanã, enquanto que a IMX produziu o estudo de viabilidade econômica em que a comissão se baseou para concessão da licitação, mas o governador do Rio, Sérgio Cabral, garantiu que tudo está dentro da lei.

“A Justiça já respondeu isso. A licitação está perfeita. Tanto está que o questionamento é em cima do mérito e o Ministério Público avalia a legalidade. A legalidade está perfeita", analisou.

Os custos para a reforma do estádio que receberá a final da Copa do Mundo já ultrapassam R$ 1,1 bilhão, e é a obra mais cara do evento.

Divulgação
Com os custos ultrapassando R$1,1 bilhão, o Maracanã é o estádio mais caro da Copa 2014

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade