Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Palmeiras une jogadores, ídolos e torcida para lançar camisa "retrô"

William Correia São Paulo (SP)

Como antecipou a Gazeta Esportiva.net, as novas camisas do Palmeiras se baseiam na usada na conquista do título brasileiro de 1973. Mas a inspiração no passado não se limitou ao modelo. No evento de lançamento oficial do uniforme, no final da manhã desta terça-feira, no salão nobre do Pacaembu, campeões nacionais de 40 anos atrás se juntaram a atletas do elenco atual e a torcedores.

A apresentação teve como mote o resgate do orgulho do palmeirense, que no ano passado viu o clube ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro pela segunda vez em seus 98 anos de história. Até como uma afirmação, tudo ocorreu em um palco que destacava a expressão “orgulho” em verde e branco.

O uniforme verde apareceu nos corpos do meia Patrick Vieira, do ex-atacante César Maluco e de três sócios-torcedores premiados por fotos que divulgaram em redes sociais virtuais para participar de promoção entre clube e Adidas. O quinteto tirou agasalhos e exibiram o novo modelo.

A camisa é similar à do time em 1973, com listras brancas no ombro e pedaços brancos nas mangas, se destacando em meio ao verde, além de um selo na barra da camisa com a inscrição “SE Palmeiras 1973 Campeão”. O uniforme reserva volta a ser branco, com os mesmos detalhes do primeiro uniforme, só que em verde, e com a parte posterior da gola exibindo listas vermelhas, brancas e verdes, como na bandeira italiana.

A apresentação da camisa branca coube ao ex-meia Ademir da Guia, ao volante Vilson e outros três sócios-torcedores, sendo um deles uma mulher. Mais tarde, Suellen Andrade, musa do Palmeiras no último Campeonato Paulista, vestiu a camisa laranja, com listras verdes, que serão usadas pelos goleiros.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Campeões brasileiros em 1973, César Maluco e Ademir da Guia se juntaram a Patrick Vieira e Vilson na apresentação
“O uniforme não está só lindo, mas verde e branco, o que é um anseio nosso como palmeirense”, discursou Paulo Nobre. “Os dois uniformes estão maravilhosos, superclean, superretrô, lembrando a nossa história de quase 100 anos. Voltamos a ter uma camisa branca. Nunca podemos perder nossas tradições”, prosseguiu.

Daniel Schmid, gerente da categoria futebol da Adidas no Brasil, destacou que o símbolo está maior do que nos últimos modelos até para ficar ainda mais semelhante à camisa de 1973. E disse que a camisa foi definida após dois anos, quando optou-se pela inspiração na equipe que ficou conhecida como “Segunda Academia”.

“O mais bacana é que misturamos gerações, juntando o Ademir, o César, o Vilson, o Patrick e sócios-torcedores, que representaram a torcida”, comemorou o diretor executivo José Carlos Brunoro. “Abordamos o torcedor com a ideia do orgulho de ser palmeirense para cada vez mais nos aproximarmos dessa torcida maravilhosa. Juntos, vamos construir história maravilhosas”, disse Daniel Schmid.

O novo uniforme do Palmeiras estará à venda a partir desta quarta-feira nas lojas Adidas, no site http://www.adidas.com.br/palmeiras e nas lojas oficiais do clube (Academia Store, que tem unidades na rua Augusta e no Shopping Ibirapuera). O modelo que será usado pelos jogadores custará R$ 299,90, mas há uma versão mais econômica por R$ 199,90.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade