Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

"Segue a vida": triste, Jadson respeita afastamento de colegas

Tossiro Neto Cotia (SP)

Jadson foi pego de surpresa na sexta-feira passada pela notícia de que sete colegas de São Paulo haviam sido encostados pela diretoria do clube. O afastamento ocorreu no dia em que ele recebeu liberação para ser homenageado pelo Shakhtar Donetsk, na Ucrânia, de onde só retornou nesta terça pela manhã.

À espera de propostas, os laterais Cortez e Henrique Miranda, os zagueiros João Filipe e Luiz Eduardo, o volante Fabrício, o meia Cañete e o atacante Wallyson estão treinando na Barra Funda, enquanto o grupo principal iniciou período de refúgio no CT das divisões de base, em Cotia, até a estreia no Campeonato Brasileiro, no dia 26, contra a Ponte Preta.

Apesar de chateado pelos futuros ex-companheiros, liberados para negociar, Jadson não questionou a decisão anunciada na semana passada pelo presidente Juvenal Juvêncio.

"Fico triste por serem meus amigos, companheiros de trabalho. Mas essa foi uma decisão da diretoria. Somos trabalhadores, a gente entende a decisão deles. Temos que seguir a vida. Quem foi dispensado tem que seguir a vida também", comentou o camisa 10, minutos depois de ter sido convocado para servir à Seleção Brasileira na Copa das Confederações.

Na contramão dos dispensados, ele recomenda o São Paulo como destino a jogadores interessados em retornar da Europa.

"É um grande clube, com uma torcida muito grande também. Quem tiver oportunidade de vir, aqui é uma vitrine muito boa. Ainda mais se apresentar um bom futebol, todo o mundo estará acompanhando", elogiou o ex-jogador do Shakhtar.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade