Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Sem ser multado, Lúcio recebe apoio e treina com reservas no campo

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

A expulsão de Lúcio contra o Atlético-MG complicou bastante o desempenho do São Paulo na partida da Libertadores, culminando na derrota por 2 a 1 no Morumbi. No entanto, a diretoria descartou a aplicação de uma multa ao jogador, que já voltou a treinar e recebeu o apoio do meia Paulo Henrique Ganso nesta sexta-feira.

“Ninguém esperava a expulsão dele. Por sua experiência e por ter jogado campeonatos importantes, ele vai saber lidar bem com isso e tem o apoio total dos jogadores. Fora de campo, ele é muito gente boa, um exemplo”, comentou o armador.

Lúcio recebeu o primeiro cartão amarelo ao cometer falta dura sobre Richarlyson. O árbitro paraguaio Antonio Arias ainda deixou a partida seguir com vantagem para o Galo, mas, depois, voltou para advertir o pentacampeão.

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
Zagueiro Lúcio foi expulso ainda no primeiro tempo da partida contra o Atlético-MG, no Morumbi
No momento em que o São Paulo seguia com o domínio da partida, o zagueiro fez mais uma falta forte, desta vez sobre Bernard, levando o cartão vermelho. Depois disso, o Galo cresceu em campo e virou o placar. Apesar de defender o colega, Ganso concordou com os critérios da arbitragem.

“A expulsão foi justa, porque foram dois amarelos e não temos do que reclamar. Infelizmente, ele chegou um pouquinho atrasado”, ponderou o meia, que fez apenas uma atividade regenerativa no Reffis, nesta sexta-feira.

Se não tivesse sido expulso, Lúcio também teria feito um treino leve nesta reapresentação do elenco, mas sua exclusão antes do fim do primeiro tempo mudou seu cronograma de trabalhos.

O zagueiro treinou normalmente com os jogadores reservas que não foram utilizados no jogo contra o Galo (Ademilson também participou da atividade). Outro que marcou presença em campo foi o atacante Luis Fabiano, por ter cumprido suspensão contra o Galo.

Agora, Lúcio tenta recuperar seu prestígio depois da terceira polêmica em que se envolveu no São Paulo. Antes, o atleta também foi criticado por ter sido expulso contra o Palmeiras e por ter discordado de Ney Franco ao ser substituído na derrota para o Arsenal de Sarandí.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade