Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Tite diz ter externado seu “lado podre” ao cumprimentar Amarilla

Helder Júnior e Marcos Guedes São Paulo (SP)

Meticulosamente educado, Tite se permitiu ser falso após a eliminação do Corinthians da Copa Libertadores da América, na noite desta quarta-feira. O técnico fez questão de caminhar até o árbitro paraguaio Carlos Amarilla e seus auxiliares, que tiveram pífia atuação no empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, para distribuir irônicos cumprimentos.

“Foi a primeira vez na vida em que fui muito cínico. Mas muito cínico mesmo. Estou dando a mão à palmatória para admitir a minha falsidade. Não aguentei e fui até o Amarilla, já dizendo para os policiais não se preocuparem. Apertei bem forte a mão dele, puxando duas vezes, olhei lá dentro dos olhos e falei ‘parabéns’. Fiz o mesmo com os bandeirinhas. Coloquei o meu lado podre para fora”, contou Tite, ainda frustrado, no vestiário do Pacaembu.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Carlos Amarilla conheceu o "lado podre" de Tite depois de prejudicar o Corinthians no Pacaembu
As principais queixas do Corinthians contra Amarilla se referem a dois gols legítimos anulados (um de Romarinho no primeiro tempo e outro de Paulinho no segundo), a dois pênaltis (um toque de mão de Marín e uma falta sobre Emerson) não assinalados e aos critérios utilizados pelo árbitro na partida. O paraguaio foi conivente quando os argentinos retardaram o jogo, porém aplicou advertências exemplares às reclamações corintianas.

“Vou ser direto: foi pênalti e os gols eram legais. Não vou avaliar o outro lance, pois eu estava distante”, comentou Tite, antes de voltar a mostrar uma faceta mais irritada. Segundo ele, o Corinthians não tinha condições de superar o desempenho de Amarilla no Pacaembu. “Não havia jeito hoje. Ele encontraria uma fórmula...”, disse, sem querer ser claro em suas suspeitas em relação ao árbitro do Paraguai, país que sedia a Conmebol.

De qualquer forma, Tite já se adiantou a tentar vetar Carlos Amarilla de jogos do Corinthians. “Não gostaria nunca mais de ver esse trio de arbitragem na minha frente. Ficaria muito contente se eles não apitassem mais as minhas partidas. Eliminaria uma variável da minha cabeça”, afirmou o técnico, lembrando ainda que já havia sido vítima de uma atuação polêmica do paraguaio quando estava no Internacional.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade