Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Tite impede volta olímpica e fica perto da Fiel: "É para eles"

Santos (SP)

“Sem volta olímpica, vamos respeitar os santistas”, ordenou Tite, pouco após a entrega do troféu do Campeonato Paulista ao Corinthians. Ele preferiu que os seus jogadores, todos vestidos com a camisa 27 -- referência ao número de conquistas estaduais do maior campeão de São Paulo --, ficassem perto dos 700 torcedores do Timão que ocupavam o espaço dos visitantes na Vila Belmiro.

“Fomos desclassificados, eles nos deram carinho. Estamos aqui para devolver esse carinho a eles”, afirmou o treinador, recordando a eliminação na Copa Libertadores. Na última quarta-feira, após empate com o Boca Juniors em partida de arbitragem histórica, o Pacaembu aplaudiu o atual campeão mundial e cantou o hino do clube por cerca de dez minutos.

“Nós brigamos. Fomos desclassificados daquela forma, lutando, não apelando, e eles reconheceram. O mínimo que podíamos fazer era ter um desempenho parecido. Jogou muito. Jogou muito! É para eles”, empolgou-se o gaúcho, que nunca havia conquistado o Paulista.

A cada resposta em suas entrevistas após o empate em Santos, Tite relembrou o reconhecimento recebido após o adeus à luta pelo bicampeonato sul-americano. Não só de torcedores mas também de dirigentes, algo que foi transmitido insistentemente aos atletas antes da decisão estadual.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Tite valorizou o apoio recebido após a queda na Libertadores: "Tem coisas que transcendem o futebol"
“Foi um combustível que vi muito poucas vezes da vida. Ser desclassificado e ter considerável reconhecimento, ter tamanho carinho. Passei para os jogadores e para os funcionários que cada um deles tinha méritos naquilo. Perdemos, mas não fomos derrotados. E estava ali o reconhecimento do técnico com eles também”, contou.

Usando uma frase que adora -- “não sei a dimensão” --, o gaúcho procurou não posicionar o Paulista em seu ranking de grandes conquistas recentes. Mas valorizou demais retribuir com um troféu os aplausos de quarta-feira: “Tem coisas que transcendem o futebol”.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade