Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa Libertadores - ( )

Tite nega interferência de punição a Jorge Henrique em eliminação

Helder Júnior e Marcos Guedes São Paulo (SP)

O técnico Tite se acostumou a utilizar Jorge Henrique como lateral para tentar mudar os jogos em que o Corinthians estava em desvantagem no marcador – como ocorreu na noite de quarta-feira, quando a equipe ficou atrás no placar no empate por 1 a 1 com o Boca Juniors. Na partida que decretou a eliminação corintiana da Copa Libertadores da América, no entanto, o atacante não se fez presente porque cumpre punição por indisciplina.

Para Tite, a ausência de Jorge Henrique não foi decisiva para a desclassificação do Corinthians no Pacaembu. “Não teve interferência. Posso falar de uma forma muito tranquila que não influenciou”, comentou o treinador, que preferiu culpar a atuação pífia do árbitro Carlos Amarilla pelo fracasso diante do Boca Juniors.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Tite não tinha Jorge Henrique no banco de reservas do Corinthians contra o Boca Juniors
Apesar de ter lamentado a sua falta de sinceridade ao parabenizar Amarilla de forma cínica, Tite mais uma vez não quis ser claro ao falar sobre o problema de Jorge Henrique. O atacante faltou ao treinamento da véspera do clássico contra o São Paulo, válido pelas semifinais do Campeonato Paulista, e apresentou uma justificativa falsa à comissão técnica.

“Não posso externar mais coisas de assuntos particulares por respeito aos envolvidos. Prefiro que digam que não fui transparente ao participar de uma decisão a deixar de preservar a entidade Corinthians”, justificou o comandante.

Ainda afastado do elenco corintiano, Jorge Henrique corre o risco de ser negociado – embora alguns torcedores façam campanha por sua permanência, em nome do histórico de sucesso do atacante no Parque São Jorge. A diretoria ainda desconversa sobre o futuro do atleta.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade