Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Com pressão de amigos, Marcelo não leva rivalidade espanhola à final

Helder Júnior, enviado especial Rio de Janeiro (SP)

Marcelo parece pressionado. Neste sábado, véspera de decidir o título da Copa das Confederações com a Espanha, o lateral esquerdo da Seleção Brasileira discordou de quase todas as perguntas que lhe fizeram. Principalmente quando lembravam que ele é empregado do espanhol Real Madrid.

“Vamos enfrentar, sim, muitos jogadores do Barcelona, mas não se trata de um clássico do Real Madrid. Será Brasil contra Espanha. Obviamente, Iniesta e Xavi estarão em campo no Maracanã, com um estilo de jogo praticamente igual ao utilizado pelo Barcelona, mas não tem nada a ver falar dessa rivalidade. A final é entre duas seleções”, rebateu.

De qualquer maneira, o fato de conhecer bem os espanhóis faz com que Marcelo se ambiente de forma um pouco diferente à final. O brasileiro tem sido alvo de cobranças até por parte de seus amigos europeus.

“Tenho muitos amigos na Espanha, e todos queriam essa final. Eles só falam disso. Estão doidos com a partida. Vários deles estão me pressionando bastante por mensagens. A cobrança é grande”, disse Marcelo, enfim com um sorriso no rosto.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Marcelo não quer cair em provocações típicas da rivalidade entre Real Madrid e Barcelona
O lateral esquerdo do Brasil usou o seu bom relacionamento com espanhóis também para enaltecer a força da equipe brasileira para o confronto com os atuais campeões do mundo.

“Não é à toa que o Brasil tem cinco títulos mundiais. Quando converso com o pessoal da Espanha, eles sempre falam com respeito sobre a gente. Citam o time canarinho, o samba... Sabemos que temos vários jogadores de qualidade, e o objetivo é colocar a Seleção no lugar onde ela merece estar”, avisou Marcelo, sem temer o estilo de jogo de seus rivais catalães.

“A gente sabe que a posse de bola deles sempre é maior, mas esse Brasil nunca jogou com essa Espanha, então não dá para prever o que vai acontecer. Vamos tentar impor o nosso jogo e ver no que dá”, concluiu o defensor do Real Madrid.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade