Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Defensores brasileiros minimizam sustos na vitória sobre o México

Helder Júnior, enviado especial Fortaleza (CE)

A Seleção Brasileira venceu novamente na Copa das Confederações – com grande atuação do atacante Neymar –, mas também sofreu defensivamente. Para os encarregados de conter o ataque do México no triunfo por 2 a 0, não há motivos para maiores preocupações.

O zagueiro David Luiz, por exemplo, disse que o Brasil recuou por inteligência. Alguns dos momentos mais delicados para o time anfitrião ocorreram justamente na ausência do defensor do Chelsea, que saiu para estancar um sangramento no nariz no final do primeiro tempo.

“A gente também precisa jogar com o resultado. Fizemos um gol logo no começo, e eles cresceram. O time tem que saber sofrer quando é necessário. Isso é ser inteligente”, ensinou David Luiz, sorrindo.

Djalma Vassão/Gazeta Press
David Luiz deu o sangue - literalmente - pela Seleção Brasileira na vitória por 2 a 0 sobre o México
Já o parceiro Thiago Silva evitou transferir a culpa dos problemas enfrentados contra os mexicanos. “Não foi por falta de combate dos atacantes. Houve comprometimento deles, sim. Mas jogamos contra uma equipe muito qualificada, com zagueiros que saíam bem para o jogo, e isso dificulta o nosso trabalho”, defendeu.

O técnico Luiz Felipe Scolari também percebeu as dificuldades. No segundo tempo, ele mandou o volante Hernanes a campo no lugar do meia Oscar justamente para dar maior proteção para David Luiz e Thiago Silva.

“É normal sofrer um pouco quando temos um time com jogadores rápidos na frente. Ainda estamos buscando o nosso melhor entrosamento. Às vezes, ficam alguns espaços”, admitiu Hernanes, também tranquilo. “Vamos continuar atrás da perfeição.”

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade