Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Em alta, Jô elogia o concorrente Fred e o “doidinho” Balotelli

Helder Júnior, enviado especial Fortaleza (CE)

Jô está tão alegre que faz elogios rasgados até para seus concorrentes de posição na Seleção Brasileira e futuros adversários. Convocado de última hora para disputar a Copa das Confederações, no lugar do lesionado Leandro Damião, o atacante marcou um gol contra o Japão e outro diante do México, passou a ser uma ameaça para o então titular absoluto Fred e está prestes a rever um antigo companheiro – o polêmico italiano Mario Balotelli.

“Pelo que venho fazendo, creio que o Felipão esteja feliz”, comentou Jô, certamente mais contente do que o próprio treinador do Brasil. “Mas respeito muito o Fred, que é um excelente atacante. Ele vem jogando bem. Só não estão sobrando oportunidades para ele marcar o gol”, defendeu.

Para Jô, ao contrário, sobraram duas chances em muito menos tempo de jogo do que Fred. E ele aproveitou. “É claro que quero jogar, ser titular. Venho fazendo o meu trabalho e essa oportunidade pode pintar, mas respeito o Fred”, repetiu.

Demasiadamente respeitoso ao falar sobre Fred, Jô fica bem-humorado quando o tema é Balotelli. O astro da Itália será adversário da Seleção Brasileira no sábado, na Arena Fonte Nova, em jogo que vale a liderança do grupo A da Copa das Confederações.

“O Balotelli... Ele é meio doidinho, né?”, gargalhou Jô, que conheceu o italiano quando ambos estavam no Manchester City, da Inglaterra. “Falando sério, tive o prazer de jogar com ele. Sei que é um excelente atacante, forte, um atleta com quem precisamos ter cuidado”, completou o jogador do Atlético-MG.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Jô aplaudiou Fred, com quem disputa posição na Seleção Brasileira, e o ex-companheiro Balotelli
Ao perceber que havia despertado curiosidade ao definir Balotelli como “doidinho”, Jô reforçou a sua ressalva. “Ele é uma boa pessoa. Só tem algumas atitudes rebeldes. Mas, apesar disso, é um excelente homem, brincalhão, que não tem maldade alguma quando vai aprontar”, garantiu o motivado brasileiro, que também já foi cobrado por “aprontar” no passado.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade