Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Em jogo dos eliminados, México se despede com vitória sobre o Japão

Belo Horizonte (MG)

O apoio da torcida mineira não foi suficiente para o Japão terminar sua participação na Copa das Confederações com ao menos um ponto. Neste sábado, em jogo válido pela última rodada do Grupo A da competição, os asiáticos foram derrotados por 2 a 1 pelo México, com dois gols de cabeça do atacante Chicharito Hernández, do Manchester United, que ainda perdeu um pênalti no fim do jogo. O Japão descontou com Okazaki.

Derrotadas por Brasil e Itália nas primeiras rodadas da competição, as duas seleções entraram em campo apenas para cumprir tabela, já sem chances de se classificar para a semifinal.

AFP
Chicharito Hernández perdeu pênalti, mas fez dois gols e garantiu vitória do México no Mineirão (foto: YASUYOSHI CHIBA)
Esta foi a pior das cinco campanhas do Japão na história do atual formato da Copa das Confederações (com oito seleções), que vigora desde a edição de 1997. Os japoneses se despedem do Brasil sem somar pontos, com nove gols sofridos e quatro gols marcados.

A vitória pode ter ajudado a diminuir a pressão da torcida e da imprensa mexicanas sobre o técnico José Manuel de la Torre. Em sua sexta participação na Copa das Confederações, o México igualou a campanha de 1997, quando fez três pontos e também não se classificou para a semifinal.

O jogo - A equipe mexicana começou o jogo de forma mais incisiva, tentando pressionar a equipe japonesa. A primeira chance clara de gol, no entanto, foi do Japão, aos cinco minutos do primeiro tempo. Após boa troca de passes do ataque, o meia Kagawa saiu cara a cara com Ochoa. Um pouco desequilibrado, o jogador do Manchester United finalizou, e o goleiro conseguiu salvar o México com os pés, mandando a bola para escanteio.

Três minutos mais tarde, Sakai cruzou errado, Honda dominou, e, após a defesa mexicana afastar, a bola sobrou para Endo. O capitão japonês chutou de primeira, e Okazaki, dentro da área, desviou para o gol. O auxiliar levantou a bandeirinha e, de forma correta, anulou o que seria a abertura do placar no Mineirão.

Okazaki teve a chance de marcar aos 16 minutos, quando avançou pelo lado direito e invadiu a área. Um pouco desajeitado, o atacante chutou de bico, mas a bola passou longe do gol mexicano.

Em quase todas as vezes que teve espaço para trabalhar a bola no campo de ataque, o Japão levou perigo ao México. Aos 24 minutos, Honda recebeu de Endo, livrou-se do marcador e chutou para o gol de perna esquerda. O arremate saiu fraco, e Ochoa defendeu sem dar rebote..

AFP
Honda tentou, mas não conseguiu superar a marcação mexicana e passou em branco (foto: YASUYOSHI CHIBA)
Com maior posse de bola ao longo do primeiro tempo, os mexicanos equilibraram a partida e passaram a ameaçar o Japão a partir dos 25 minutos. Guardado teve a chance de fazer o gol quando recebeu cruzamento de Torres, aos 39 minutos. O meia acertou uma cabeçada forte na trave direita de Kawashima, assustando os japoneses. No último lance do primeiro tempo, aos 45, o goleiro do Japão quase foi surpreendido em um chute despretensioso de Zavala.

A segunda etapa começou com o México pressionando a seleção japonesa. A primeira boa chance aconteceu aos seis minutos, quando Giovani dos Santos recebeu na ponta direita da área, puxou pra dentro e chutou. A zaga do Japão afastou para escanteio. Após a cobrança, Gimenez cabeceou forte e Kwashima salvou os asiáticos.

O gol mexicano saiu aos oito minutos. Guardado passou por Sakai e cruzou para a área. Chicharito Hernández se antecipou ao goleiro japonês e, de cabeça, abriu o placar no Mineirão.

O México teve a chance de ampliar o marcador aos 14 minutos, quando Giovani dos Santos recebeu do lado direito, puxou para a perna esquerda e chutou. Kawashima conseguiu tocar na bola antes de vê-la triscando sua trave esquerda.

Um minuto mais tarde, o Japão respondeu à altura. Kagawa encontrou Maeda, que girou e chutou rasteiro, com força. A bola passou pelo lado de fora da rede, ao lado esquerdo do gol de Ochoa.

AFP
Kawashima impediu terceiro gol de Chicharito após defender pênalti e foi o destaque japonês (foto: YASUYOSHI CHIBA)
O segundo gol mexicano veio aos 21 minutos, e novamente pelo alto. Giovani dos Santos bateu escanteio do lado direito, Mier desviou no primeiro poste, e Chicharito, de cabeça, mandou para o fundo das redes.

O Japão sentiu o segundo gol do adversário, e passou a ser ainda mais pressionado. Aos 28 minutos, Giovani dos Santos fez novamente sua jogada característica – recebeu na direita, puxou para a perna esquerda e chutou. O goleiro Kawashima se esticou para evitar o terceiro.

A partir dos 30 minutos, os mexicanos se recuaram e o Japão passou a pressionar, criando algumas chances de perigo. Aos 33, Kagawa fez jogada pelo lado esquerdo e chutou cruzado, obrigando Ochoa a fazer boa defesa. Aos 37, Nakamura cobrou escanteio do lado direito e Okazaki quase conseguiu desviar para o gol.

A insistência do Japão surtiu efeito aos 40 minutos. Endo recebeu na direita e cruzou de primeira para Okazaki, que desviou. Ochoa ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol de honra da seleção japonesa.

Aos 45 minutos, Chicharito invadiu a área pelo lado esquerdo, foi derrubado, e viu o árbitro marcar o pênalti. O jogador desperdiçou a cobrança, defendida por Kawashima, e o rebote, quando acertou o travessão.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade