Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Fàbregas não admite favoritismo, mas pede continuidade para o título

São Paulo (SP)

Um dia antes de enfrentar a modesta seleção do Taiti na Copa das Confederações, o meia Cesc Fàbregas afirmou que a Espanha não é favorita ao título no Brasil. No entanto, o jogador do Barcelona sabe que o estilo de jogo espanhol, ainda longe de acabar, é o principal trunfo.

“Não diria que somos favoritos. Tentamos jogar os nossos jogos, a nossa competição. Podemos ganhar sempre quando fazemos o que sabemos fazer, que é tocar a bola e controlar o ritmo do jogo. Quando isso acontece, já mostramos que é difícil nos derrotar", analisou ao site oficial da Fifa.

AFP
Com a camisa 10, Fàbregas ironizou críticas da Espanha e revelou crença em continuidade (foto: Lluis Gene)
Exaltando o seu crescimento no time nacional, onde aparece constantemente desde 2006, Fàbregas pediu “continuidade” para que ele e os seus colegas continuem fazendo história. Há cinco anos, os espanhóis conquistaram duas Eurocopas e uma Copa do Mundo, encantando a Terra.

“Poderemos chegar até onde quisermos. Este é um grupo acostumado a fazer as coisas bem e que tem um estilo muito definido. Mantendo este mesmo nível, não há razão para não continuar com estas sensações positivas”, afirmou, após ironizar as críticas de que a Fúria decaiu recentemente.

Para o atleta de 26 anos, os comandados do técnico Vicente Del Bosque são os únicos capazes de impedir este julgamento. “Escutamos a mesma coisa em todos os torneios. Cabe a nós jogar e demonstrar que isto não é verdade. Com as redes sociais, todos têm vozes e opiniões, então é normal”.

Depois da vitória sobre o Uruguai, por 2 a 1, no último domingo, Fàbregas comemorou e garantiu que os três pontos deram mais ânimo para a seleção. “Jogamos bem. Foi um jogo completo. Mostramos superioridade durante toda a partida. Um começo assim sempre dá confiança”, ponderou.

Fàbregas voltará a campo na tarde desta quinta, no Maracanã. Isto se Vicente Del Bosque resolver não poupar esforços diante do Taiti, que vem de uma goleada sofrida para a Nigéria, por 6 a 1. O time que representa a Oceania é composto, em sua maioria, por jogadores amadores.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade