Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Felipão quer zagueiros “zagueirando” e ignora pedidos por Lucas

Fortaleza (CE)

A mudança de postura dos zagueiros da Seleção Brasileira foi nítida na estreia da Copa das Confederações contra o Japão. Diferentemente dos primeiros jogos sob o comando de Luiz Felipe Scolari, Thiago Silva e David Luiz foram cautelosos na saída de bola e não hesitaram em despachar a bola para o campo de ataque e espantar o perigo da área de Julio Cesar.

“Zagueiro é para ‘zagueirar’. Como é que você vai dominar dentro da área, como vai sair jogando? Manda lá para frente para os atacantes que eles se viram. Nossos zagueiros têm qualidade e quando der domina e joga, mas se não der isola. E eles estão entendendo, estão crescendo”, elogiou Felipão em entrevista ao SporTV.

As críticas começaram logo na primeira partida do retorno do treinador, quando o time canarinho perdeu por 2 a 1 para a Inglaterra. Na ocasião, o volante Arouca tentou sair jogando na entrada da área, acabou sendo desarmado e viu os ingleses virarem a partida. Desde então o santista foi esquecido nas listas de convocação.

“Nos primeiros jogos tomamos gols assim e não pode acontecer”, ressaltou o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira, antes de elogiar o sistema defensivo da equipe na vitória por 2 a 1 sobre os japoneses: “Eles se surpreenderam e muito com o poder de marcação dos brasileiros. Eles não esperavam encontrar um potencial tão forte na hora de marcar”.

Vaias inúteis – Felipão também aproveitou para dar um aviso aos torcedores. Nas últimas três partidas, o técnico teve de administrar as vaias para Hulk e os pedidos para e entrada de Lucas logo que as etapas complementares começara. Sem pudor, o comandante verde e amarelo avisou que não fará a substituição por pura teimosia.

“Quanto mais falarem, menos eu vou colocar. Agora com a torcida pertinho eu tive que aguentar ainda mais, mas avisei o Lucas que quanto mais pedissem, menos eu ia colocar. Ele pode decidir uma partida com velocidade, drible, arrancada, mas não pode ter esse peso nas costas. Já o Hulk é importante taticamente. E outra, é paraibano, não está nem aí para as vaias”, sentenciou.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade