Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

Flamengo perde pênalti, mas Mano estreia com 1 a 0 sobre São Paulo

Uberlândia (MG)

Mano Menezes estreou com vitória no comando do Flamengo. Na noite deste sábado, em Uberlândia, o ex-treinador da Seleção Brasileira aproveitou as modificações do São Paulo no intervalo e, apesar de pênalti perdido por Léo Moura – defendido por Denis, substituto de Rogério Ceni no segundo tempo –, ganhou o amistoso por 1 a 0, com gol de Marcelo Moreno.

A jogada que resultou no gol do boliviano foi muito bonita. Paulinho deu um chapéu na meia direita e tocou por cima da defesa. O atacante invadiu a área e, de primeira, bateu cruzado para vazar Denis. À frente no marcador, os comandados de Mano mantiveram o ímpeto ofensivo na tentativa de ampliar a vantagem, mas o resultado não passou do placar mínimo, dada a fraca atuação das duas formações.

Na quarta-feira, a equipe paulista faz o primeiro jogo da final da Recopa Sul-americana, frente ao Corinthians, no Morumbi. O time carioca, por sua vez, só volta a campo por um compromisso oficial no sábado, quando enfrenta o Coritiba, em Brasília, pelo reinício do Campeonato Brasileiro após a pausa da Copa das Confederações.

Miguel Schincariol/Divulgação
Léo Moura desperdiçou pênalti diante do desfalcado São Paulo, mas o Flamengo conseguiu sair vitorioso
O São Paulo atuou bastante desfalcado. Além do zagueiro Paulo Miranda, substituído por Rafael Toloi, e do meia Jadson, que está a serviço da Seleção Brasileira e deu oportunidade a Aloísio, o técnico Ney Franco não levou Lúcio e Luis Fabiano nem Denilson e Wellington para a cidade mineira. O zagueiro está gripado, enquanto os demais reclamaram de dores e foram poupados.

A explicação do treinador foi a preocupação com o jogo de quarta-feira, contra o Corinthians. E não só ele estava preocupado com o clássico. Os jogadores que viajaram também mostraram cautela em divididas. Mesmo que não quisessem, não poderiam deixar de pensar no duelo de meio de semana, pois, ainda no primeiro tempo, foram lembrados por gritos dos torcedores.

Para os flamenguistas, os gritos partiam de Mano Menezes. Em seu primeiro compromisso oficial à frente da equipe, o treinador ficou o tempo todo em pé, à beira do gramado, passando orientações. No primeiro tempo, viu o goleiro Felipe trabalhar apenas em tiros de meta. Viu também seu time chegar com maior perigo – mas sem muito capricho na finalização – à meta de Rogério Ceni.

Aos 13 minutos, o volante Elias recebeu na área e bateu rasteiro, para boa defesa de Ceni no canto esquerdo. Três minutos depois, o goleiro chegou a ser driblado por Marcelo Moreno, mas o atacante adiantou demais a bola e acabou chutando para fora. Mais tarde, o são-paulino fechou o ângulo esquerdo e espalmou forte arremate de Paulinho que aparentemente sairia.

Sem força máxima e entrosamento, o ataque do time de Ney Franco finalizou pouco. As únicas jogadas que causaram alguma apreensão na defesa rubro-negra foram em bola parada. Escanteios cobrados por Douglas ou faltas batidas por Osvaldo miravam sempre Rodrigo Caio, que não aproveitou a liberdade e cabeceou todas para fora.

No intervalo, o treinador são-paulino fez uma série de alterações, do gol ao ataque. Apenas o zagueiro Rhodolfo e o meia Maicon voltaram para o segundo tempo. Mano não seguiu o ex-colega de CBF e preferiu continuar com a escalação que havia iniciado. Isso fez diferença.

Aos oito minutos, o árbitro viu algum pênalti a favor do Flamengo após escanteio cobrado pela esquerda. Léo Moura cobrou no canto direito, e Denis espalmou a bola, evitando o gol. Quatro minutos depois, contudo, Paulinho fez ótima jogada e encontrou Marcelo Moreno atrás da zaga. O atacante chutou de primeira e não desperdiçou a chance.

Mano ainda insistiu por alguns minutos com a formação inicial e só na metade da etapa começou a alterar sua equipe. Repleto de jogadores formados nas divisões de base e outros recém-chegados, o São Paulo fez valer o espírito amistoso da partida e não ofereceu qualquer risco até o apito final, a não ser um chute bem defendido por Felipe após desvio na retaguarda.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade