Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Fred se emociona ao mencionar a ausência da mãe no Mineirão

Helder Júnior, enviado especial Belo Horizonte (MG)

O centroavante Fred ficou com a voz embargada na entrevista coletiva que concedeu na véspera da partida contra o Uruguai, que vale uma vaga na final da Copa das Confederações. Mineiro de Teófilo Otoni, o jogador do Fluminense queria que a mãe estivesse acompanhando os seus demais familiares e amigos nas arquibancadas do Mineirão nesta quarta-feira. Giselda faleceu quando ele tinha apenas 7 anos.

“A minha família toda vai ao Mineirão. A única pessoa que não poderá ver o jogo no estádio é a minha mãe. Seria muito bom se ela pudesse admirar o filhão representando o Brasil em Belo Horizonte. Tenho certeza de que, onde estiver, ela assistirá a tudo de camarote, feliz”, comentou Fred, emocionado.

No último Dia das Mães, o centroavante já havia utilizado uma rede social para externar a falta que sente de Giselda. Ele publicou uma foto antiga, na qual aparecia ao lado da mãe, e escreveu: “Onde você estiver, não se esqueça de mim. Onde você estiver, não se esqueça que eu não consigo tirar você da minha vida. Valorizem”.

Bastante apegado ao pai Juarez, que costuma se divertir por onde passa a Seleção Brasileira, Fred contou que ele não era a sua única inspiração familiar para ser jogador de futebol. “A minha mãe era apaixonada pelo esporte. Acompanhava o meu pai e o meu irmão quando eles jogavam. Era muito companheira, simples, porém com um ótimo caráter. Foi embora muito cedo, mas me passou muitas coisas boas para a vida”, discursou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Fred queria que a mãe Giselda o visse em ação pelo Brasil contra o Uruguai, no Mineirão
Família Scolari
Fred ganhou mais uma família durante a Copa das Confederações. O jogador sentiu que podia contar com o técnico Luiz Felipe Scolari e o coordenador Carlos Alberto Parreira como pais depois de ter ficado sem marcar gols contra Japão e México. Anotou dois diante da Itália e comemorou com a simulação de um bigode para homenagear o pai legítimo, Juarez, mas não deixou de agradecer à comissão da Seleção Brasileira.

“O Felipão gosta de montar o seu time com um centroavante e tem me dado muita moral, transmitindo coisas boas. Quando há pessoas que querem te ajudar a crescer, você dá tudo para evoluir e mostrar que quem confia no seu trabalho tem razão”, bradou Fred.

Já Felipão teve uma prova da gratidão que pode vir a ter por Fred quando o técnico Cuca visitou a concentração da Seleção Brasileira em Belo Horizonte. “Vi o abraço que ele deu no Fred e percebi que posso confiar no meu atacante não apenas como jogador, mas como um amigo. O Cuca contou com ele para livrar o Fluminense de uma situação ruim no passado”, comentou.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade