Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Fred usa a “canela abençoada” para afastar de vez o mau momento

Helder Júnior, enviado especial Belo Horizonte (MG)

Da mesma forma que não disfarçava a irritação por não ter marcado gols nas duas primeiras rodadas da Copa das Confederações, o centroavante Fred faz questão de deixar evidente a sua satisfação com o bom momento atual. Ele abriu o placar para o Brasil na vitória por 2 a 1 sobre o Uruguai, na quarta-feira, no Mineirão – apesar de ter errado o chute.

“A bola bateu no meu joelho, na canela abençoada. Subi para dar uma pedala, pois poderia acertar o zagueiro se batesse sem pular. Aí, o chute saiu meio mascado e foi para o gol. Então, está tudo certo. Há alguns jogos, eu pegava certinho, e a bola batia na trave ou o goleiro defendia. Agora, eu erro, e ela entra. Que as coisas continuem assim”, sorriu.

Anteriormente, Fred estava ainda mais pressionado porque o seu concorrente Jô, mesmo com pouco tempo em campo, havia feito gols diante de Japão e México. A sorte mudou para o titular, que recebeu bastante apoio do técnico Luiz Felipe Scolari para anotar duas vezes diante da Itália antes de contar com a “canela abençoada” na semifinal.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Natural de Teófilo Otoni, Fred aprovou o apoio do público mineiro à Seleção Brasileira
O desempenho de Fred foi tão significativo que abafou os gritos de alguns torcedores do Atlético-MG pela entrada de Jô. Após o gol, a maioria do público fez coro: “Uh, terror! O Fred é matador!”.

Mineiro de Teófilo Otoni, com passagens por América-MG e Cruzeiro, Fred não poderia ter escolhido um local melhor para ser ovacionado. “O Mineirão é a minha casa. Saio de Belo Horizonte orgulhoso do povo mineiro, que incentivou mesmo quando a Seleção não estava jogando bem. Não só eu, mas todo o mundo jogou em casa em Belo Horizonte. Só tenho a agradecer a todos”, disse o matador.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade