Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Hulk se familiariza à Seleção e espera ganhar reconhecimento no País

Helder Júnior, enviado especial Brasília (DF)

Hulk tem se mostrado bastante à vontade na Seleção Brasileira. Já sem sofrer tantas contestações de torcedores, o atacante do russo Zenit é solícito para conceder entrevistas, parece não se incomodar muito com as críticas e espera usar a sua simplicidade para finalmente ser reconhecido em seu País.

“Como saí cedo do Brasil, a maioria das pessoas não me conhece. A Copa das Confederações é a chance que tenho de mostrar como eu jogo”, sorriu o paraibano, satisfeito com a evolução da Seleção Brasileira. “Tivemos pouco tempo para trabalhar, mas a equipe começou a demonstrar entrosamento. A torcida também está dando um apoio fundamental.”

No caso de Hulk, nem sempre houve incentivo. O jogador é o alvo preferencial das contestações do público, que adotou o seu concorrente Lucas como xodó. Internamente, no entanto, o titular recebe bastante carinho dos companheiros de grupo.

“Nunca vivi algo como o ambiente que formamos na Seleção. Também era espetacular no Porto, mas não se compara com o que acontece Brasil. Temos uma família aqui”, exaltou Hulk, que sofreu preconceito no Zenit. “Não é que eu não tenha sido bem recebido na Rússia. Eles não aceitaram algumas coisas lá, mas tirei isso de letra, fazendo o meu trabalho e os meus gols”, garantiu.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O atacante Hulk tem se esforçado para conseguir cativar os torcedores que o criticam
A próxima oportunidade para Hulk cativar um pouco mais o público brasileiro será contra o México, na quarta-feira, no Castelão. A Itália sobrará como última adversária no grupo A da Copa das Confederações. “Queremos ganhar os três jogos da primeira fase. São seleções difíceis, mas o objetivo é ter 100% de aproveitamento”, avisou.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade