Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Luiz Gustavo acha que ainda é anônimo para a torcida brasileira

Helder Júnior, enviado especial Belo Horizonte (MG)

Sisudo dentro e fora de campo, o volante Luiz Gustavo se define como o tipo de jogador que não aparece para a torcida. E nem se importa com o fato de ainda ser um anônimo para boa parte do público brasileiro, apesar de ter se tornado titular absoluto da Seleção Brasileira na Copa das Confederações.

“Acredito que o torcedor ainda não consiga falar o meu nome na hora de escalar a equipe”, disse Luiz Gustavo, com um raro sorriso no rosto. “Mas é um passo de cada vez que a gente precisa dar. Estou tranquilo, sabendo que cheguei agora. Ninguém tem um contrato fixo com a Seleção Brasileira, então a gente sempre deve mostrar que é capaz de estar aqui”, acrescentou.

Natural de Pindamonhangaba, cidade do interior de São Paulo, Luiz Gustavo iniciou a carreira profissional de jogador no futebol alagoano, por Corinthians-AL e CRB. Ganhou projeção na Alemanha, com passagens Hoffenheim e pelo campeão europeu Bayern de Munique antes de chamar a atenção do técnico Luiz Felipe Scolari.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O sério Luiz Gustavo abre um sorriso para comemorar o bom momento da Seleção Brasileira
Começando a ficar famoso em seu País agora, o volante de 25 anos recorre até a ensinamentos populares para confiar em seu sucesso na Seleção Brasileira. “Os últimos serão os primeiros. É um ditado que serve bem para mim. Quero continuar aproveitando as minhas oportunidades”, discursou.

O próximo desafio do anônimo (por enquanto) Luiz Gustavo pela Seleção será na quarta-feira, quando o time de Felipão decidirá com o Uruguai uma vaga na decisão da Copa das Confederações, no Mineirão. “Estou pronto esse momento. A gente vem se preparando física e mentalmente para fazer um grande trabalho. Como é um jogo só, vamos tomar todas as precauções possíveis”, concluiu.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade