Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Músicos encobrem protesto em festa e colocam a torcida para pular

Helder Júnior, enviado especial Rio de Janeiro (SP)

Se fosse um desfile de escola de samba, a festa de encerramento da Copa das Confederações certamente perderia pontos preciosos no quesito evolução. A torcida presente no Maracanã para assistir à final entre Brasil e Espanha, neste domingo, não deixou impune alguns erros de coreografia da cerimônia (motivados até por um protesto individual) – todos encobertos pela vibração do sambista Arlindo Cruz, dos sertanejos Victor e Leo, de Jorge Bem Jor e principalmente de Ivete Sangalo e da bateria da escola de samba Acadêmicos do Grande Rio.

Com cerca de 1.250 voluntários selecionados entre 7.011 candidatos, o espetáculo de encerramento apostou na mesma fórmula que havia surtido efeito na abertura. A ideia foi compor mosaicos com pessoas travestidas de metades de bolas de futebol. O problema era que nem todas estavam muito atentas à coreografia, apesar dos ensaios dos últimos dias. Uma delas abriu uma faixa de protesto contra a privatização do complexo do Maracanã e foi retirada do gramado (sob vaias da plateia), enquanto outra passou mal e saiu carregada.

A maioria dos torcedores, contudo, estava mais interessada em prestigiar as principais atrações do evento. Quem mais conseguiu cativar a torcida foi Ivete Sangalo, que colocou o público para saltar e cantar alto nas cadeiras numeradas do Maracanã, como se a Seleção Brasileira já estivesse no gramado para decidir o título da Copa das Confederações com a Espanha.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Ivete Sangalo foi a mais festejada entre os músicos que se apresentaram no Maracanã
No final, entraram em cena os integrantes da Grande Rio, no meio do gramado. Havia até dois casais de mestre-sala e porta-bandeira, com os pavilhões de Brasil e Espanha, na hora em que a bandeira brasileira foi formada com dezenas de balões no Maracanã. A decisão entre os times sul-americano e europeu (que acompanhou a festa do banco de reservas) começará às 19 horas (de Brasília).

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade