Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

René saiu por desavenças com diretoria e ainda não tem substituto

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

Em meio à euforia pela vitória de 2 a 0 sobre o Atlético-MG na noite de quarta-feira, o diretor executivo de futebol do Vasco, René Simões, pediu demissão. O fato, que causou espanto na torcida, já era dado como certo desde a semana passada e o dirigente apenas se antecipou a uma demissão que seria consumada nos próximos dias, durante o recesso do Brasileirão para a disputa da Copa das Confederações.

René Simões foi contratado em dezembro do ano passado com a missão de reconstruir o elenco cruz-maltino. De lá para cá se envolveu em algumas polêmicas que foram minando seu poder. A decisão de afastar o meia Felipe após uma polêmica entrevista do jogador contribuiu para a ida do jogador para o Fluminense, o que irritou a torcida e até mesmo o presidente Roberto Dinamite. Porém, recém-chegado, René foi perdoado pelo comandante, de quem é amigo pessoal.

Com a boa campanha na Taça Guanabara, René começou a ganhar força no clube. Com isso, começou a incomodar Cristiano Koehler, vice-presidente geral e uma espécie de pilar da administração de Roberto Dinamite.

A postura de René começou a incomodar e a perda da final da Taça Guanabara para o Botafogo gerou um declínio do time na temporada. O Vasco sequer foi às semifinais da Taça Rio, e o fato de René ter demitido o técnico Gaúcho ainda no vestiário, minutos depois de uma derrota para o Nova Iguaçu, irritou profundamente Roberto Dinamite.

A contratação de Paulo Autuori acalmou o ambiente, porém Koehler não escondia a irritação com René, principalmente por conta de algumas contratações que considerou desastrosas para o clube. Diante deste cenário ele começou a esvaziar René e negociou diretamente com a empresa DIS, com o Santos e com o Atlético-MG a contratação do atacante André, apresentado na semana passada.

O estopim para a demissão do dirigente foi a negociação para a contratação do zagueiro Rafael Vaz, com os direitos federativos ligados ao Ceará. O diretor do departamento de futebol cuidou de toda a transação, mesmo o nome não contando com o aval de Roberto e de Cristiano. Ao ser informado que seria demitido, René se antecipou e pediu demissão após a vitória sobre o Atlético.

René contava com o respaldo do gerente de futebol Ricardo Gomes, figura influente no clube, mas que vai se calar sobre todo o processo para evitar maiores polêmicas.

O Vasco ainda não pensa em um substituto, por causa das poucas opções no mercado. O nome de Rodrigo Caetano, atualmente no Fluminense e ventilado na imprensa para voltar a São Januário, foi descartado por questões financeiras.

Dentro de campo o time volta a jogar no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), quando recebe o Bahia pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira os jogadores participaram de um treino recreativo em Pinheiral (RJ), onde ficará até sábado, quando retorna para a capital carioca com os jogadores tendo o domingo de folga.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade