Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Ronny valoriza elenco que já trocou dúvidas por palmas no Palmeiras

William Correia São Paulo (SP)

O Palmeiras busca reforços para a Série B do Brasileiro: já trouxe o zagueiro Tiago Alves, ex-Mogi Mirim, e o meia-atacante Ananias, ex-Cruzeiro, pretende anunciar o meia Mendieta, do Libertad, até sexta-feira e negocia pelo lateral direito Luis Ricardo, da Portuguesa. Mas Ronny, embora aceite novos contratados, ressalta a superação que o elenco já mostrou neste ano.

“O grupo que todos diziam que não ia chegar muito longe na Libertadores fez todos baterem palma para o Palmeiras. É o que o Gilson Kleina tem na mão, e um time que chegou nas oitavas de final de uma Libertadores não pode ser negado. Sabemos da dificuldade, mas podemos chegar (ao acesso) na Série B”, disse o meia-atacante.

Embora ganhe mais um concorrente na posição, Ronny não poupou elogios para Ananias, ressaltando que considera necessárias mais contratações. Mas apenas porque o time acumulará desfalque ao longo da caminhada em que tenta voltar à primeira divisão do futebol brasileiro.

“A Série B tem 38 rodadas, é muita rodada, muito jogo desgastante, terça e sábado, com viagens desgastantes e longas. É necessário ter grupo para chegar na Série B, são jogos superdifíceis, longe, em campos ruins. Tem que pensar em tudo isso, e o Palmeiras está pensando nisso trazendo jogadores para nos ajudar”, elogiou, esperando quem está no departamento médico como reforços no plantel.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Meia-atacante concorda com busca por reforços, mas porque a Série B é longa e deve gerar desfalques
O jogador destaca a vontade de seus companheiros. “O Palmeiras não tem um grupo cheio de estrelas, mas tem cara que quer vencer, jogadores novos que querem aparecer nacionalmente e fora também e querem vencer. O Palmeiras só tem a ganhar”, projetou.

E a característica é colocada como fundamental na Série B. “Todos que forem enfrentar o Palmeiras vão dar a vida, todo jogo para nós será considerado como se fosse o último pelo adversário. Então estamos entrando em cada jogo como se fosse uma final”, avisou, usando o discurso como motivação para virar titular.

“Falta muita coisa, mas venho trabalhando para isso. O Gilson vai saber a hora certa para me colocar como titular. Enquanto isso, vou trabalhando para estar, pelo menos, entre os 18”, comentou, tendo como credencial o gol que fez para garantir a vitória sobre o Avaí, na terça-feira, 17 segundos após entrar em campo. “Eu já tinha saído do banco e feito gol no segundo tempo, mas não assim. Dei dois toques na bola e fiz o gol. É um gol que vai ficar marcado na história”, apostou.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade