Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Seleção atrai até animador de torcida para portão fechado de estádio

Helder Júnior, enviado especial Fortaleza (CE)

A população cearense está ansiosa para ter um pouco mais de contato com a Seleção Brasileira. No hotel onde o time está hospedado em Fortaleza, por exemplo, nem mesmo algumas funcionárias têm o privilégio de se aproximar dos ídolos. “Você lavou as roupas de cama do Neymar?”, uma colega perguntou para a outra. “Quem me dera... A gente não consegue ver ninguém aqui”, a segunda respondeu, suspirando.

A distância, no entanto, não reduz os esforços dos cearenses. A Seleção Brasileira atraiu uma multidão para as portas do Estádio Presidente Vargas (fechadas para o público) no início da tarde desta segunda-feira, para o seu primeiro treinamento em Fortaleza para a partida contra o México, na quarta, no Castelão. O jogo é válido pela segunda rodada da Copa das Confederações.

Como já havia ocorrido nas outras cidades onde a Seleção se concentrou, muitas garotas se misturaram aos homens para tietar os jogadores no Presidente Vargas. Queriam ver preferencialmente o atacante Neymar, o meia Lucas e o lateral direito Daniel Alves, querido no Nordeste. E contaram até com um animador de torcida para se fazer escutar.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Torcida cearense se esforça para acompanhar a Seleção Brasileira antes da partida contra o México
Com a ajuda de alto-falantes, o sujeito puxou a maioria dos coros no portão principal do estádio. “Neymar, cadê você....”, ele gritou. “Eu vim aqui só pra te ver!”, completou a torcida, em meio a gritos histéricos. Formando um cordão de isolamento diante do Presidente Vargas, alguns policiais chegavam a rir de tamanha euforia.

Do gramado, onde titulares da Seleção realizavam trabalho técnico – o zagueiro Thiago Silva e o atacante Hulk só correram, priorizando a recuperação física –, era possível escutar os berros estridentes das garotas. Somadas aos homens, elas imploraram aos policiais para entrar, com o coro: “Abre! Abre! Abre!”. Quase foi em vão. O portão continuou fechado para o público até minutos antes do final do treinamento, assim como o time de Felipão.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade