Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Sem duelo há 14 anos, Espanha e Brasil voltam a palco de goleada

João Victor Miranda, especial para a GE.net Rio de Janeiro (RJ)

No dia 13 de novembro de 1999, Brasil e Espanha jogaram em Vigo, em partida amistosa que terminou empatada em 0 a 0. Foi a última vez que as seleções se enfrentaram. Neste domingo, em uma partida decisiva, os selecionados voltam a duelar no palco do confronto da Copa do Mundo de 1950, que acabou com uma goleada histórica brasileira: 6 a 1.

Apesar do grande momento da Fúria, historicamente, os espanhóis são fregueses do Brasil. Em oito partidas, são quatro vitórias brasileiras, dois empates e duas vitórias da Espanha.

AFP
À atual geração da seleção espanhola só falta o título da Copa das Confederações
No primeiro jogo entre as equipes, na Copa de 1934, 3 a 1 para a Roja. Em 50, no Brasil, 6 a 1 para o time da casa. Em 62, no Chile, 2 a 1 para os brasileiros na fase de grupos. Em 78, na Argentina, empate sem gols na primeira fase. O último duelo em Copas do Mundo foi em 1986, com nova vitória brasileira: 1 a 0 com gol de Sócrates.

O primeiro amistoso aconteceu cinco anos antes, em 81. Em Salvador, o Brasil venceu por 1 a 0. Em Gijón, em 1990, os espanhóis enfim venceram, por 3 a 0, na estreia do técnico Paulo Roberto Falcão no comando da Seleção. O jejum de vitórias do Brasil foi mantido no empate em Vigo.

Acervo/Gazeta Press
Capa de A Gazeta de 1950 celebra goleada do Brasil
Naquele jogo, que comemorava os 100 anos de fundação da Federação Espanhola de Futebol, a Seleção não levou todos os seus titulares a campo e nem o treinador titular: Vanderlei Luxemburgo não apareceu e Candinho comandou a Canarinho. José Antonio Camacho dirigiu a Espanha.

O Brasil foi a campo com: Marcos; Roberto Carlos, Aldair, Antonio Carlos e Cafu; Emerson, Rivaldo (Zé Elias), Zé Roberto (Giovanni) e Marcos Assunção; Elber e Sonny Anderson (Jardel).

A Espanha jogou com: Molina; Salgado, Abelardo, Paco e Sergi; Valerón (Engonga), Luís Enrique (Mendieta) e Guardiola; Raúl (Alfonso), Morientes (Urzáiz) e Etxeberria (Munitis).

Desde então, a despeito de nunca mais ter encontrado a Fúria, o Brasil realizou vários amistosos no país. Em 2002 e em 2004, encarou a Catalunha. Em 2005, foi a vez de jogar contra o Sevilla.

Neste domingo, às 19 horas (de Brasília), Brasil e Espanha fazem a final da Copa das Confederações no Maracanã.

AFP
A tarefa da Seleção é impedir os espanhóis de alcançar este feito. Para tal, terá o apoio de 70 mil torcedores

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade