Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Sem saber onde Valdivia se cortou, Kleina o quer no treino nesta 2ª

São Paulo (SP)

Sem entrar em campo desde 14 de março, ficando fora dos últimos 20 jogos do Palmeiras, Valdivia gerou mais uma frustração na expectativa de sua volta. Por conta de um corte no pé direito, o meia não participou do jogo-treino de sábado. Sem saber como o chileno se machucou, a expectativa de Gilson Kleina é de que ele trabalhe normalmente nesta semana.

“O Valdivia teve esse problema e tiramos o jogo-treino de sábado do planejamento dele, mas tenho certeza de que ele já volta a trabalhar nesta segunda-feira”, disse o treinador durante sua participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, nesse domingo.

O técnico foi sincero ao comentar que desconhece o local onde o camisa 10 se feriu na sexta-feira. “Não sei onde ele se cortou. Falou que raspou o pé em um caco de vidro”, comentou, ressaltando, porém, a vontade de seu comandado em ter enfrentado o São Bernardo. “Ele estava com o corte no pé e, mesmo assim, queria jogar. Mas o departamento médico vetou.”

Por conta do novo problema, o chileno, que há mais de 100 dias se tornou desfalque por lesão na coxa esquerda, teve seu cronograma prejudicado. “Aproveitamos esse jogo-treino para colocar quem não vem atuando, como Patrick Vieira e Fernando Prass, que estão voltando. E seria também para o Valdivia.”

Fernando Dantas/Gazeta Press
De acordo com a assessoria de imprensa do meia, o corte no pé ocorreu em sua casa na sexta
A esperança é de que o meia retome os trabalhos normalmente a tempo de ter condições de enfrentar o Oeste, em Presidente Prudente, no dia 6. “Nesta semana, dentro da nossa programação, com certeza ele poderá fazer algum jogo-treino e treinar normalmente”, apostou Kleina, tentando se mostrar esperançoso em relação ao jogador.

“O Valdivia é fora de série tecnicamente. O nosso grande desafio é fazer com que ele possa ter sequência em uma situação normal de atleta, para que possamos desenvolver e não ter mais problemas”, indicou, pedindo calma.

“É um jogador que precisa de um tratamento diferenciado pelo histórico de lesões que tem. O que mais queremos é colocar o Valdivia em campo, e o comprometimento dele está acontecendo, mas precisamos de coerência e saber o momento certo", apontou.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade