Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Copa das Confederações - ( )

Torres prevê dificuldades em semi, mas ressalta experiência contra Itália

Fortaleza (CE)

Dois clássicos continentais decidirão os finalistas da Copa das Confederações de 2013. De um lado, Brasil e Uruguai, de outro, Espanha e Itália. Sobre o confronto europeu, o atacante Fernando Torres disse esperar um jogo complicado, mas ressaltou a experiência dos espanhóis em enfrentar os italianos como fator que pode tornar a partida menos difícil aos atuais campeões mundiais.

“Temos a Itália mais em nossas mentes, porque já nos enfrentamos mais vezes. Mas eles têm uma equipe muito perigosa, que, durante toda sua história, complicaram as coisas à Espanha”, afirmou o atacante.

Apesar do extremo equilíbrio no confronto entre as duas seleções – em 27 jogos, são 11 empates e oito vitórias para cada lado-, Fernando Torres tem, de fato, razão em citar a Itália como uma rival complicada para a Espanha historicamente. A Azzurra foi a responsável pela eliminação da Fúria em duas Copas do Mundo: em 1934 e 1994, ambas nas quartas de final.

O recente retrospecto, no entanto, favorece aos espanhóis. Nas duas últimas Eurocopas, foi La Roja quem mandou os italianos de volta para casa: em 2008, nos pênaltis das quartas de final, e em 2012, após goleada por 4 a 0 na final.

Caso confirme o favoritismo e avance à final da Copa das Confederações, a Espanha tem tudo para enfrentar o Brasil, também favorito diante do Uruguai. Esperado pelo mundo inteiro, o provável confronto não assusta aos espanhóis. Pelo menos é isso o que garante Fernando Torres.

“É a partida que o mundo inteiro espera, não há segredo. Mas nós não temos medo de nada. Estamos seguros de nós mesmos”, declarou após a vitória deste domingo sobre a Nigéria.

O atacante, aliás, foi o autor do segundo gol espanhol no triunfo por 3 a 0. Mesmo sendo reserva de Roberto Soldado, Torres alcançou a artilharia da Copa das Confederações com cinco gols. Para ele, no entanto, isso não é o mais importante.

“Claro que eu gostaria de ser o goleador máximo do torneio, mas esse não é o meu objetivo. Eu quero fazer gols para ajudar a equipe a ser campeã”, decretou o atacante, artilheiro da Eurocopa de 2012.

AFP
Torres foi o autor do segundo gol espanhol na vitória deste domingo contra a Nigéria, em Fortaleza

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade