Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Vacilo diante da Chape deixa técnico e meia do Paysandu incrédulos

Chapecó (SC)

O Paysandu encarou uma maratona nos últimos dias. Depois de encarar o Atlético-GO em Goiânia na sexta-feira, o Papão enfrentou a Chapecoense em Santa Catarina na última terça. Além do cansaço das viagens, o clube paraense teve de enfrentar a líder da Série B do Campeonato Brasileiro, buscar o empate por duas vezes, mas mesmo assim saiu derrotado por 3 a 2.

Se o ataque funcionou e o empenho foram destacados por todos, a derrota em Chapecó fez com que o time da Curuzu terminasse a 6ª rodada da competição na zona de rebaixamento. E para deixar a 17ª colocação, o Bicolor precisará esperar o dia 2 de julho, às 21 horas (de Brasília) diante do Guaratinguetá no Mangueirão.

“Saímos derrotados, mas não por estarmos jogando mal e sim por falta de atenção. Ficaria insatisfeito se a gente não estivesse mostrando nada, mas fica aquela sensação ruim porque bobeamos no primeiro e no terceiro gol. No segundo tempo arrumamos o time na defesa, fizemos alterações para tentar melhorar e deu certo. Infelizmente perdemos”, analisou o técnico Givanildo Oliveira após o confronto.

Autor do primeiro gol do Paysandu na partida, o meia Eduardo Ramos era um dos mais incomodados com a derrota diante do Verdão do Oeste. Inconformado, o ex-jogador de Corinthians e Náutico lamentou os vacilos cometidos em campo e espera que o treinador possa reanimar o grupo durante a pausa para a Copa das Confederações.

“Não merecíamos essa derrota. Estamos ficando na parte de baixo da tabela e depois podemos não conseguir mais subir. Esse tipo de ponto não pode ser desperdiçado. Enfrentamos a líder da competição e o empate seria importante. É uma sensação ruim ver que as vitórias não estão acontecendo. Vamos ver se o Givanildo consegue corrigir os erros para que tenham mais desculpas”, afirmou o camisa 10.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade