Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Alvo em protesto, Marco Aurélio diz não ter medo de “pedir mudanças”

São Paulo (SP)

O conselheiro Marco Aurélio Cunha já respondeu às torcidas organizadas do São Paulo. Depois de seu nome ter sido incluído nos xingamentos dos manifestantes, o principal nome atual da oposição avisou que vai continuar expondo o que considera errado na diretoria encabeçada por Juvenal Juvêncio.

“Ainda acharam motivo para me criticar? Tive e terei coragem de continuar a pedir mudanças no São Paulo. Não sei o que é ter medo!”, escreveu o vereador da capital paulista, em sua página no Twitter.

O nome de Marco Aurélio Cunha foi citado em dois momentos distintos neste domingo. Antes da partida contra o Cruzeiro, no Morumbi, cerca de 50 são-paulinos sem ligações com organizadas protestaram contra Juvenal Juvêncio e entoaram o nome do ex-superintendente.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Nome de Marco Aurélio Cunha foi incluído nos xingamentos das torcida uniformizadas do Tricolor
Porém, depois da derrota por 3 a 0 para a Raposa, quando as organizadas encabeçaram a manifestação, Marco Aurélio Cunha foi xingado, assim como boa parte do elenco (Rogério Ceni foi poupado), enquanto a diretoria não foi citada.

Disposto a ser o representante da oposição na próxima eleição presidencial do Tricolor, que será realizada em abril de 2014, o ex-aliado de Juvenal Juvêncio citou outros nomes que foram criticados no passado.

“Kaká, Luis Fabiano, Rogério Ceni e agora a mim. Que honra fazer parte desse grupo. Como pessoas de bem incomodam. Vou perdoá-los um dia...”, completou o ex-dirigente, que costuma postar nas redes sociais fotografias com ex-jogadores são-paulinos, como Lugano, Kaká e Dario Pereyra.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade